domingo, 20 de dezembro de 2009

Prospeperidade e Missões

Marcos E. Fink - Ganancia.com.br


Citar um único versículo da Bíblia é suficiente para demonstrar que os ensinos da Teologia da Prosperidade são insustentáveis.
Jesus disse:
"Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância, a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens" Lc 12.15.

Infelizmente, muitos cristãos, mesmo dizendo não concordar com a Teologia da Prosperidade, continuam vivendo deliberadamente em busca de prosperidade material, enganados pelos valores materialistas da sociedade de consumo.

Alguns estão muito preocupados com coisas simples, pois os sofás da sala não combinam com a estante, ou porque o velho televisor já deveria ter sido substituído por um moderno aparelho com tela de plasma.

Outros estão constantemente considerando assumir mais um emprego, pelo principal motivo de obter renda mais alta, para trocar de carro todo ano ou morar em uma casa maior e mais confortável.

E quantos não conseguem dormir direito pois foram atropelados pelas dívidas e pelos problemas financeiros, consequência de gastos impensados, gerados por acatar a influência do estilo de vida consumista pregado em nossa época.

Enquanto isso...

1. Centenas de povos e etnias nunca ouviram o Evangelho, nunca tiveram um missionário pregando a palavra de Deus para eles;
2. Milhões de pessoas não possuem sequer um versículo da Palavra de Deus traduzido para o seu idioma;
3. Em muitos países, cristãos são perseguidos pelo simples fato de assumirem a sua fé em Jesus;
4. Etc... etc...

Você busca ser um cristão autêntico? Qual é o propósito de Deus para a sua vida? Qual é a sua missão neste mundo?

Jesus disse aos seus discípulos:
"Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas" Mc 16.15.
"Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra". At 1.8
"A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para a sua colheita". Mt 9.37-38.

Que tal você?
Reflexão Pessoal
Como você acha que as pessoas vêem você?
1. Como alguém preocupado com o progresso do Evangelho e com a expansão do Reino de Deus.
2. Como alguém preocupado em obter sucesso profissional e prosperidade material.
Nessa questão, como você acha que Deus vê você?
Como você pode se envolver mais efetivamente com a missão que Jesus deixou pra você?

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

PACIFICADORES 2009 - Você não pode perder!!





Nós acreditamos que adolescentes e jovens tem um papel decisivo na transformação do mundo. Se você acha que o jovem tem que ficar calado, em segundo plano, incapaz, impotente, esperando acontecer, desculpe, aqui não é seu lugar!


Adolescente, jovem, Deus não chamou você para ficar por baixo! Ele disse: “O SENHOR fará de vocês a cabeça das nações, e não a cauda. Se obedecerem aos mandamentos do SENHOR, o seu Deus, que hoje lhes dou e os seguirem cuidadosamente, vocês estarão sempre por cima, nunca por baixo.” Deuteronômio 28:13

E então, o que fazer para que as coisas mudem? Tudo muda quando você muda! Talvez você tenha planejado suas férias de janeiro, do mesmo jeito que no ano passado. Talvez você esteja querendo a mesma praia, as mesmas brincadeiras, a mesma companhia. Então vai continuar tudo do mesmo jeito! Mude você, que as coisas mudam! Venha passar quinze dias com os missionários da AMME em São Vicente – SP, em um programa radical, planejado especialmente para capacitar adolescentes e jovens para assumirem sua posição como cabeça no mundo. Venha para PACIFICADORES!

PACIFICADORES é a Escola Intensiva de Evangelização da AMME. Destinada a adolescentes e jovens, a próxima edição da escola acontecerá de 15 a 30 de janeiro de 2010 em São Vicente – SP e capacitará jovens para a liderança, de modo que eles possam desempenhar um papel mais decisivo na evangelização, influenciando seus colegas e transformando sua comunidade. A AMME Evangelizar desempenha um papel de liderança entre as missões brasileiras e ajuda cerca de 4.000 igrejas a evangelizar mais de 10.000.000 de pessoas por ano.

O investimento para cobrir alimentação, hospedagem e todo o material didático e evangelístico pelos quinze dias da escola é de apenas R$ 310,00. A pré-inscrição pode ser feita diretamente no centro de atendimento da AMME pelo telefone 0800 121 911, ou preenchendo o formulário a seguir. A aprovação dos candidatos acontecerá a partir da recomendação de seu pastor ou líder.

O currículo do programa consiste de três matérias: Decisão e liderança; Funções do líder; Liderança evangelística.


Objetivo Geral:Capacitar adolescentes e jovens conforme as Escrituras para influenciarem seus colegas e assim transformarem sua comunidade pela evangelização.

Santificação:Um líder cristão deve ser um exemplo para os fiéis, uma lâmpada no lugar mais alto, iluminando a vida dos outros. Não é infalível, mas não pode se acomodar à sua falibilidade. Deve lutar contra o pecado e se aperfeiçoar. Um adolescente ou jovem enfrenta tentações específicas de sua idade, assim como as pessoas de qualquer idade, do mesmo modo também pode contar com a graça de Deus e o poder do Espírito Santo para se santificar. Para tratar desse tema, faremos um devocional comunitário diário de trinta minutos, com adoração e reflexão bíblica sobre catorze passagens da carta de Tiago, tratando de temas como medo, mentira, brigas, orgulho etc. Esse devocional será feito em conjunto com o ministério King’s Kids que estará no mesmo local que o Pacificadores, na parceria AMME e JOCUM .Nos sete primeiros dias ministrará o missionário José Bernardo, líder da AMME, e nos sete últimos dias ministrará o missionário Tio Pedro, líder da JOCUM.

Decisão e liderança: Nessa matéria, os participantes aprenderão sobre a importância do processo de decisão, conhecerão os mecanismos de decisão do adolescente, e trabalharão sobre os catorze temas mais importantes para a decisão do jovem: religião, sexualidade, saúde, violência, escola, expressão, trabalho, lazer, drogas, família, diversidade, cidadania, afetividade, mídia. Essa matéria será apresentada em catorze encontros de duas horas, utilizando-se dinâmicas, teatro, debates e atividades alternativas. A matéria será ministrada pelos missionários da AMME. Ao concluir essa matéria, os participantes estarão capacitados para ministrar a outros adolescentes e jovens estes temas, ajudando outros a tomar boas decisões, em um programa de discipulado pessoal ou em um grupo de estudos bíblicos.

Funções do líder: O repertório de funções do líder não é muito extenso. Para fazer frente a todos os desafios da liderança, consideramos que todas as opções de ação se resumem a dez funções: crer, planejar, pesquisar, criar, comunicar, delegar, verificar, controlar, avaliar e decidir. Cada uma destas dez funções será trabalhada em profundidade com os alunos, utilizando-se recursos dinâmicos como jogos, teatro e outras formas de arte, experimentos, debates e exercícios práticos. A matéria, ministrada em dez encontros de 3 horas (30 horas) será dirigida pelo missionário José Bernardo que contará com a ajuda dos missionários da AMME. Ao concluir essa matéria, os participantes estarão capacitados para escolher e atuar nas funções do líder conforme a situação que enfrentarem.

Liderança evangelística: A evangelização é a maior expressão da liderança cristã e até mesmo da liderança secular. Ensinar uma nova ideia e levar as pessoas a agirem conforme o que foi ensinado é toda a evangelização e também é toda a liderança. Nesse programa, daremos ênfase à evangelização de pessoas religiosas. A matéria será ministrada em cinco horas de teoria em 25 horas de trabalho prático. Os participantes ficarão capacitados para utilizar e reproduzir as estratégias aprendidas, tanto em sua evangelização pessoal como no trabalho com a igreja local.

O programa contará com muitas outras atividades de aprendizado, inclusive intercessão, louvor, tarefas, momentos de lazer, além do próprio ambiente da escola, no relacionamento de jovens vindos de toda parte e no contato constante com os missionários dedicados integralmente à evangelização. Os Pacificadores terão ainda a oportunidade de conviver com os King’s Kids em vários momentos, já que os dois ministérios compartilharão novamente o mesmo local na parceria AMME e JOCUM, além disso realizarão três atividades conjuntas: uma festa temática de integração; um dia de ação social evangelizadora; um concurso de teatro evangelístico com participação da comunidade.

AMME EVANGELIZAR






































quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

CHAMADOS PARA ANUNCIAR O EVANGELHO



“Certa mulher, chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que servia a Deus, nos ouvia, e o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia”. (Atos 16:14)

A evangelização é uma ordem expressa e é uma tarefa inacabada. Por isso mesmo, cometida a cada geração. A pregação do Evangelho do Reino é uma das formas, e a principal, para se apressar a volta gloriosa do Senhor Jesus, para o arrebatamento da igreja e implantação definitiva do Reino de Deus, o novo céu e a nova terra, nas quais habitarão a paz, a justiça e o amor.O texto bíblico de hoje é o da história da Igreja de Cristo na era Apostólica, envolve personagens conhecidos como Paulo, Silas e Lídia, a primeira mulher convertida na Europa, onde aprendemos, com clareza, algumas lições, das quais destacamos:

I. O Espírito Santo direciona as obras de evangelização e plantação de Igrejas: Você que é ou deve ser leitor atento das Sagradas Letras, seguramente já percebeu que o Espírito de Jesus não permitiu a Paulo pregar na Ásia, nem tão pouco na Bitínia, pois o plano de Deus era outro. Paulo sendo um homem de Deus, também foi obediente à visão celestial e, assim Deus abençoou o seu ministério: pois no ministério, tanto a visão quanto o chamado vêem de Deus.

II. A visão e o Chamado vêm de Deus: Referimo-nos à visão de Trôade, que veio a Paulo, de noite, da parte do Senhor. O que ele viu e ouviu você também pode ouvir: “Passa a Macedônia e ajuda-nos!”. Assim que teve a visão, Paulo concluiu que Deus o chamava para pregar o Evangelho e obedecendo, partiu para aquele destino. Cremos firmemente, que o ministério só pode ser bem-sucedido quando guiado pelo Espírito Santo. É Deus quem opera e o homem coopera. Outro ponto fundamental é ter uma consciência vertical do chamado de Deus; chamando este confirmado pela igreja, pela comunidade dos eleitos. Claro está que Visão e Chamado vêm de Deus e são confirmados pela comunidade dos salvos.

III. Nós pregamos, mas quem convence e converte é o Espírito Santo: Esta é uma verdade consoladora, a nossa parte é lançar a preciosa semente: pregar, de forma clara e culturalmente relevante, que seja por todos entendida a fim de que possam responder ao SIM de Deus. Semear e regar são obras do homem; germinar, crescer, florir e frutificar é obra de Deus. Quando fazemos bem o que Deus quer da nossa parte o Espírito Santo nunca falhará no que dEle depende. Nós pregamos, mas quem converte é o Espírito. E tudo o que Deus faz dura eternamente.

IV. A Igreja em sua Casa: Lídia, ao ter o seu coração por Deus aberto, foi convertida: submeteu-se ao juízo da igreja, “se julgais que sou fiel ao Senhor, entrai em minha casa e aí ficai. E nos constrangeu a isso” (Atos 16:15). Abrir o coração para Jesus e a casa para a igreja trazem bênçãos maravilhosas. Cada crente nascido de novo, é um evangelista. "Quem não evangeliza, termina evangelizado por alguma heresia por aí; quem não é um missionário, transforma-se em campo missionário”.

Quando alguém se torna parte do “povo de Deus”, há muito mais coisas em jogo do que simplesmente atender a um apelo, ir à frente, queimar velhos objetos de idolatria ou começar a participar do culto público. O nosso entendimento de conversão, nesse sentido, é a transformação dos que eram “não-povo” em povo ministrador de Deus, o corpo de Cristo que age, participa e serve (I Pedro 2:10). É uma conversão de egoísmo do egocentrismo, da servidão ao domínio das trevas para o amor ágape, para o discipulado e para o serviço a Jesus Cristo. Essa conversão parte da decisão por meio de um processo de discipulado. O discípulo buscando ministrar em nome de Cristo como seguidor de Jesus. Aliás, poder-se-ia defender que a conversão plena, no sentido bíblico, é um processo tríplice que implica: 1. A conversão a Deus em Jesus Cristo; 2. A conversão a Igreja, o corpo de Cristo; 3. A conversão ao ministério no mundo pelo qual Cristo morreu.

O Senhor ordena que a sua comunidade especial de discípulos vá como testemunha, a Jerusalém, a Judéia, a Samaria e aos confins da terra (Atos 1:8).

Que o Senhor soberano nos abençoe no cumprir tão relevante tarefa.

Pr. Francisco Carlos Côrtes Alves

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

EVANGELISMO BÍBLICO


Você evangeliza? Se sim, como você evangeliza?
Será que você evangeliza conforme a bíblia nos manda evangelizar? Se sim, como você sabe disso? Você tem certeza disso?
Aliás, você sabia que 80%-90% das pessoas que “aceitam a Cristo” em cruzadas evangelísticas se “desviam” depois?

Um evangelho centrado no Homem
O motivo de tudo isso tem sido esse evangelho centrado no homem que é pregado nos púlpitos, nas TVs e nas casas, onde o bem-estar e a prosperidade tem se tornado “mais valiosos” que o próprio sangue de nosso Senhor. A graça já não basta mais (apesar de cantarmos e acharmos tão meigo). O que nós realmente queremos é “o segredo” para ser bem-sucedido; desejamos “uma vida com propósitos” para taparmos com peneira o vazio que sentimos (de um espírito morto que somente Deus pode ressuscitar); ansiamos por “o melhor da nossa vida hoje” no lugar de tomarmos a nossa cruz e de negarmos a nós mesmos; queremos conhecer “as leis da prosperidade” mais do que o Espírito de Santidade; e, para nos justificarmos, tentamos ser líderes auto-motivados e de alta performance, antes de sermos cristãos cuja alegria está em primeiro lugar Nele; e santos bem aceitos pelo mundo a despeito das Palavras de Jesus.

Como Paul Washer[1] afirma:
“Nós não conhecemos o evangelho de Jesus Cristo. Tudo o que nós conhecemos é ‘Quatro Leis Espirituais’ ou ‘Cinco Coisas que Deus Quer que Você Saiba’.”

BASTA!
Ai de vocês que transformam a casa de Deus em comércio. Vendem seus CDs, vendem seus falsos milagres, vendem suas falsas unções, vendem falsas promessas de prosperidade, enquanto na verdade só vocês têm prosperado. Como escaparão do juízo que há de vir? Como escaparão daquele terrível Justo Juiz?

João 2: 13-17; ACF
E estava próxima a páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. E achou no templo os que vendiam bois, e ovelhas, e pombos, e os cambiadores assentados. E tendo feito um azorrague de cordéis, lançou todos fora do templo, também os bois e ovelhas; e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e derribou as mesas; e disse aos que vendiam pombos: Tirai daqui estes, e não façais da casa de meu Pai casa de venda. E os seus discípulos lembraram-se do que está escrito: O zelo da tua casa me devorará.

Evangelismo Bíblico: Arrependimento e Fé
Tendo já analisado rapidamente a raiz do problema discutido, vamos agora aprender como realmente evangelizar segundo a bíblia. Definitivamente não sou nenhum exemplo em evangelismo. Logo, esse texto também serve pra mim. Isso não será de longe uma explanação profunda ou satisfatória, mas antes uma introdução para instigar-nos a procurar mais a respeito.

Vamos analisar como quatro pessoas do Novo Testamento pregaram:

João Batista
Lucas 3: 2, 3, 7, 8, 18; NVI

Foi nesse ano que veio a palavra do Senhor a João, filho de Zacarias, no deserto. Ele percorreu toda a região próxima ao Jordão, pregando um batismo de arrependimento para o perdão dos pecados.
João dizia às multidões que saíam para serem batizadas por ele: “Raça de víboras! Quem lhes deu a idéia de fugir da ira que se aproxima? Dêem frutos que mostrem o arrependimento.
E com muitas outras palavras João exortava o povo e lhe pregava as boas novas.

Pedro
Atos 2: 36-41; NVI

“Portanto, que todo o Israel fique certo disto: Este Jesus, a quem vocês crucificaram, Deus o fez Senhor e Cristo”.
Quando ouviram isso, ficaram aflitos em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos outros apóstolos: “Irmãos, que faremos?”
Pedro respondeu: “Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos seus pecados, e receberão o dom do Espírito Santo. Pois a promessa é para vocês, para os seus filhos e para todos os que estão longe, para todos quantos o Senhor, o nosso Deus, chamar”.
Com muitas outras palavras os advertia e insistia com eles: “Salvem-se desta geração corrompida!” Os que aceitaram a mensagem foram batizados, e naquele dia houve um acréscimo de cerca de três mil pessoas.

Paulo
Atos 17: 29-31; NVI
“Assim, visto que somos descendência de Deus, não devemos pensar que a Divindade é semelhante a uma escultura de ouro, prata ou pedra, feita pela arte e imaginação do homem. No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena que todos, em todo lugar, se arrependam. Pois estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou. E deu provas disso a todos, ressuscitando-o dentre os mortos”

O próprio Senhor Jesus
Marcos 1: 14, 15; NVI

Depois que João foi preso, Jesus foi para a Galiléia, proclamando as boas novas de Deus. “O tempo é chegado”, dizia ele. “O Reino de Deus está próximo. Arrependam-se e creiam nas boas novas!”

Há mais inúmeros outros casos para citar como:
Mateus 11: 20; 21: 28-32;
Marcos 6: 12;
Lucas 5: 31; 24: 45-49;
Atos 3: 11-26; 5: 19-32; 11: 18; 20: 21; 26: 20

Creio que os grifos deixaram bem claro. Se quisermos realmente pregar o evangelho temos que falar de: Arrependimento e Fé

Ray Comfort[2] afirma que:



“Vejam que ao explicarmos precisamente o que foi feito de errado primeiro, fazemos com que as boas novas verdadeiramente tenham sentido. Se eu não mostrar claramente que o indivíduo violou a lei, então as boas novas parecerão tolice e serão recebidas como uma ofensa. Mas, a partir do momento que entender que quebrou a lei, então as boas novas se tornarão boas novas de fato!”

 Deixo, por fim, palavras de Paris Reidhead para reflexão.




“Se pudesse, eu declararia uma moratória na pregação pública do chamado ‘plano de salvação’ neste país durante um ou dois anos. Depois, chamaria todos os que utiliza os meio de comunicação e o púlpitos para pregar a santidade, a justiça e a Lei de Deus, a ponto de os pecadores clamarem: ‘Mas, então, o que devemos fazer para nos salvar?’ A seguir, eu os chamaria num canto e sussurraria o evangelho em seus ouvidos, mas sem utilizar João 3: 16. Uma medida assim tão drástica é necessária porque formamos uma geração endurecida ao evangelho ao apresentar-lhes primeiro ‘como’ se salvar sem explicar ‘por que’ se salvar”.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

EVANGELIZA HOJE O HOMEM DE AMANHÃ



l. AS CRIANÇAS DE HOJE – QUE TIPO DE HOMENS SERÃO AMANHÃ?


Como será o homem de amanhã?
Antes de olhar para o futuro e fazer conjecturas sobre como serão e como viverão os homens amanhã, deveríamos olhar para o agora, e verificar como são e como vivem as crianças de hoje.

Hoje, infelizmente, está difícil olhar para as crianças e observar a inocência, a pureza, a ingenuidade, a beleza, o sorriso, as brincadeiras, as cantigas, a felicidade na escola, no lar e a própria esperança.

Hoje, milhões de crianças desamparadas nos colocam diante de um monstruoso quadro de dor, de lágrimas, de tristeza, de fome, de exploração, de abandono, de engano, de frustração, de miséria, de abuso sexual, de droga, de promiscuidade, de delinqüência, de crime, de analfabetismo, de violência, de suicídio, de morte e de desesperança. Crianças perdidas!

Outras, embora de condição social bem elevada, são mantidas o dia todo fora de casa, em colégios e em aulas de música, de ginástica, de inglês, de judô, etc. Quando estão na rua, estão dentro de um automóvel e, quando em casa, estão diante de um computador.

Outras ainda, que raramente vêem seus pais, pois ambos trabalham fora, passam a maior parte do tempo diante da televisão e se alimentam de espetáculos de violência, de intrigas, de cenas sexuais.

Diante deste quadro, perguntamos: “O que virá a ser, pois, este menino?” (Lc 1:66).

Existem milhões de crianças sem Cristo. O que acontecerá amanhã com o menino de rua? Com o menino da vila? Com aquele cujos pais se separaram? Com o menino do asilo ou casas de internos? Com as crianças que são deficientes? O que acontecerá amanhã com o menino que convive com as guerras e rumores de guerras que acontecem em todos os continentes? Quantas crianças cujas famílias desapareceram, ou que estão em campos de refugiados, ou que procuram no lixo algo para comer.

Que tipo de homens estas crianças serão amanhã?

2. OS HOMENS DE HOJE – COMO FORAM NO TEMPO DA INFÂNCIA?

Veja logo abaixo a idade em que as pessoas recebem a Cristo como seu Salvador pessoal, conforme registrado no “Hand Book on Children’s Evangelism” de Lionel Hunt, publicado pela Moody Press. Os números desta pesquisa demonstram, de maneira inequívoca, qual a melhor idade para a evangelização e a conversão.

COM QUE IDADE SE RECEBE A CRISTO?

Antes dos 5 anos - 1%
Dos 5 aos 15 anos - 85%
Dos 15 aos 30 anos - 10
Após os 30 anos - 4

As crianças são importantes para Deus. Elas têm uma alma imortal e uma vida inteira pela frente. Elas ouvem e atendem à mensagem do Evangelho mais prontamente do que qualquer outro grupo de pessoas.
Outras pesquisas comprovam o fato de que se uma pessoa não receber a Cristo quando criança, dificilmente o fará na idade adulta:
Georg W. Truet, ao entrevistar 1.200 crentes, constatou que 96% deles recebeu a Cristo antes dos 21 anos.
A Divisão de Pesquisa de Educação Cristã de uma grande editora evangélica nos Estados Unidos entrevistou 1.417 professores de 116 igrejas e constatou que a grande maioria das decisões por Cristo ocorrem nas classes de crianças.
Considerando que os crentes são a luz do mundo e o sal da terra, e uma bênção para toda a sociedade, e que pelo menos 85% deles se tornaram crentes antes dos 15 anos de idade, chegaremos à conclusão de que, se quisermos ter um mundo melhor amanhã, devemos evangelizar com mais intensidade e sabedoria as crianças de hoje.
Os homens incrédulos de hoje, em sua grande maioria, não ouviram de Cristo na infância.
Pensemos em alguns homens famosos da história recente. Você certamente já ouviu falar de Hitler, Stalin, Mao Tse-Tung e Billy Graham. Por causa das decisões que Hitler tomou, morreram 55 milhões de pessoas na Europa. Por causa das decisões de Stalin, morreram 30 milhões de pessoas na Rússia. Por causa das decisões de Mao Tse-Tung, morreram 25 milhões de pessoas na China. Por intermédio do ministério de Billy Graham, muitos milhares de pessoas vieram a Cristo em todo o mundo.
Billy Graham, o maior evangelista de todos os tempos, recebeu a Cristo como seu Salvador quando ainda era criança. A História teria sido muito diferente se Hitler, Stalin ou Mao Tse-Tung, tivessem sido levados a ter uma relação pessoal com Jesus Cristo na infância.

3. EVANGELIZE HOJE O HOMEM DE AMANHÃ

Muitos líderes evangélicos têm asseverado que o evangelismo de crianças é frutífero.
D. L. Moody disse: “Eu creio que, se as crianças têm idade suficiente para vir à Escola Dominical, elas têm idade suficiente para vir ao Calvário. Vamos abrir nossas mentes e que Deus nos ajude a ganhar as crianças para Cristo.”
C. H. Spurgeon afirmou: “Geralmente tenho encontrado um conhecimento mais claro do Evangelho e um amor mais fervoroso a Cristo na criança convertida do que no adulto convertido. Elas não precisam abandonar a incredulidade e as noções erradas que impedem tantos de aceitar o Evangelho”. E ainda acrescentou: “Uma criança de cinco anos, devidamente instruída, pode verdadeiramente crer e ser regenerada tanto quanto um adulto.”
Pr. Artur Gonçalves escreveu: “As maiores vítimas dos males da nossa sociedade estão sendo as crianças. É das crianças que vêm os mais angustiantes apelos. Para construirmos um mundo melhor, concentremos nossos esforços nas crianças. Para expandirmos o reino de Deus, demos prioridade à evangelização das crianças.”
Durante o 2º Congresso Nacional da APEC da Argentina, o Pr. Samuel Libert, um dos oradores, assim se expressou: “As crianças são as mensagens viventes que mandaremos para uma época futura, na qual não estaremos.”
Que tipo de mensagens enviaremos para o próximo milênio? Será que as crianças que alcançamos hoje para Cristo serão os homens que amanhã anunciarão o precioso Evangelho às futuras gerações?
Que mensagens vivas estamos enviando? Serão mensagens de ódio ou de amor? Da mentira ou da verdade? De pecado ou de santidade?
Evangelizemos já o homem de amanhã!

4. ABRINDO PORTAS PARA A EVANGELIZAÇÃO DAS CRIANÇAS

Abra primeiro a porta do seu próprio coração. Por que seu coração é fechado para o ministério entre as crianças? Por que toda esta resistência à evangelização dos pequeninos? Por que toda esta indiferença quanto a influenciar a criança com a memorização das Escrituras?
Vamos abrir um espaço em nossa vida para alcançar as crianças para Cristo, sem barreiras e nem oposição.
Abra depois a porta de sua própria casa. Por que não abrir a porta do seu lar para que as crianças da sua vizinhança possam vir a ser instruídas pela Palavra de Deus?
Por que não abrir a porta do seu lar para a realização da Classe de Cinco Dias na época das férias? Este ministério, através de seu programa dinâmico que inclui cânticos, memorização de versículos, brincadeiras, história missionária e lição bíblica, visa dar oportunidade às crianças para receberem a Cristo. Por que não abrir a porta de seu lar para a realização da Classe de Boas Novas, durante uma hora por semana, para dar crescimento espiritual às crianças?
Abra também a porta de sua igreja. Por que não investir mais no treinamento dos professores e líderes do Departamento Infantil? No melhor material didático? Na realização de múltiplos ministérios como Escolas Bíblicas de Férias, Campanhas Evangelísticas, etc.
Uma igreja de portas abertas para as crianças certamente irá crescer!

5. DEPENDE DE QUEM?

Um menino, de seis anos idade, foi interrogado:
— O que você vai ser quando crescer?
A resposta foi dada com toda a tranqüilidade:
— Bandido... ou missionário.
-  O quê?! — exclamou admirado o adulto. — Como assim?
— Depende de quem me ganhar primeiro — completou rapidamente o garoto.
Realmente, depende de quem ganhá-lo primeiro!
É urgente e prioritário alcançar as crianças com a mensagem do Evangelho. Não há tempo a perder. Se negligenciarmos a criança, uma geração inteira se perderá. Depende de cada um de nós.
Alcancemos as crianças com a Palavra de Deus. Evangelizemos hoje o homem de amanhã! Lembremos das palavras do Senhor Jesus Cristo: “Assim, pois, não é da vontade de vosso Pai celeste que um só destes pequeninos se perca” (Mateus 18:14).

6. EVANGELIZE A FUTURA GERAÇÃO
Tome como divisa as palavras do Senhor Jesus Cristo que estão registradas em Mateus 18:5 – “E quem receber uma criança, tal como esta, em meu nome, a mim me recebe.” e como tema a frase: ABRINDO A PORTA ÀS CRIANÇAS, lançando-se assim ao desafio de alcançar as crianças em todo o Brasil.
Você pode realizar, por exemplo, CLUBES DE CINCO DIAS, cujo principal objetivo é levar crianças à salvação em Cristo.
O CLUBE DE CINCO DIAS é um ministério planejado para alcançar as crianças da vizinhança. Quando um lar cristão, cheio do amor de Deus, abre suas portas para as crianças com um caloroso convite: “Venha como você está!”, este lar abre, na verdade, o caminho para a salvação da criança e da família, pois acaba vencendo a indiferença e o preconceito que há em tantas famílias, impedindo-as de vir à igreja.
Embora este CLUBE DE CINCO DIAS possa ser realizado em qualquer época do ano, o período das férias tem sido o mais favorável e é excelente quando o clube pode ter a participação de jovens da Igreja, que podem ser treinados para este ministério.
O CLUBE DE CINCO DIAS é dinâmico: os cânticos, as brincadeiras bíblicas, a memorização de versículos, as histórias missionárias emocionantes e as lições bíblicas visualizadas, num programa de uma hora, cada dia, produzem um grande impacto na vida da criança que dele participa.
O ministério do CLUBE DE CINCO DIAS é também uma estratégia preciosa e frutífera para uma igreja que deseja crescer, não só em quantidade (novas famílias vindo à Igreja), como também em qualidade (mais pessoas da própria Igreja envolvidas no serviço e no testemunho, e sendo treinadas para isto).
A APEC coloca à disposição todo o material necessário para a realização destes Clubes: convites para as crianças, lições bíblicas e missionárias, lembretes dos versículos para as crianças, cânticos ilustrados, livreto de orientação para este ministério, folha de chamada para marcar a presença das crianças no CLUBE, etc.
Vamos abrir a porta dos nossos corações. Vamos abrir a porta das nossas casas. Vamos abrir a porta das nossas igrejas. Vamos juntos ABRIR A PORTA ÀS CRIANÇAS.
Em todo o Brasil, milhares destes CLUBES DE CINCO DIAS serão realizados agora, no mês de julho, através dos alunos dos cursos da Aliança Pró Evangelização das Crianças que são ministrados em quase todas as capitais do país.
Ore por estes CLUBES e realize também o seu, na sua própria casa.

Gilberto Celeti

Fonte: http://www.gilbertoceleti.com

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

GLOSSÁRIO MISSIOLÓGICO



Com o intúito de estabelecer critérios (e evitar confusões lingüísticas) se seguem os principais termos e conceitos utilizados no plano Adote Um Povo. Tê-los em mente nos ajudará a compreender melhor a magnitude da tarefa e o processo natural que implica em adotar um povo. Que eles--os que jamais ouviram de nosso glorioso Senhor Jesus Cristo e seu amor redentor--possam conhecê-Lo e fazer parte de sua família espiritual.

COMO VER NOSSO MUNDO E NOSSA TAREFA

Mundo A
No esquema dos três mundos que alguns missiólogos usam refere-se ao mundo não-evangelizado ou seja toda a população que jamais ouviu falar de Jesus Cristo.

Mundo B
No esquema acima citado dos três mundos faz referência ao mundo evangelizado mas não cristão.

Mundo C
No mesmo esquema significa o mundo "cristão" ou seja todos aqueles que se consideram cristãos (incluíndo obviamente todos os nominais).

Janela 10/40
É a região entre o Atlântico e o Pacífico e entre os paralelos 10 e 40 de latitude norte onde vive a maior população mundial com menos oportunidade de ouvir o evangelho.

Evangelismo E0 E1 E2 E3
Escala usada para medir a distância cultural que o missionário deve atravessar desde sua própria cultura para evangelizar e estabele-cer igrejas. E0 se refere à tarefa de ganhar para Cristo os filhos de crentes; E1 quando se evangeliza cristãos nominais; E2 quando se evangeliza gente de uma cultura parecida mas não idêntica à do missionário; e E3 quando o missionário deve evangelizar gente de uma cultura diferente da sua.

OS SEGMENTOS HUMANOS

Segmentação
É o processo de dividir a população do mundo em pequenos segmentos úteis para desenvolver estratégias missionárias de tal maneira que sejam mais facilmente selecionados para evangelizar. Alguns dos segmentos mais úteis são países povos etnolingüísticos grupos humanos e cidades.

País
As entidades geo-políticas (225 das quais são membros da ONU) que são identificadas por suas fronteiras estabelecidas e governos mundialmente reconhecidos.

Povo (Grupo Humano)
Um grupo de indivíduos sociológicamente falando significativamente grande que têm uma afinidade comum porque compartilham do mesmo idioma etnicidade religião residência profissão classe social casta situação etc. ou uma combinação de alguns destes fatores.

Metrópole
Cidade com uma população acima de cem mil habitante.

Mega-cidade
Metrópole ou cidade com uma população acima de um milhão de habitantes.

TIPOS DE POVOS

Povo Etnolingüístico
É um grupo étnico ou racial distinto de outros que fala o mesmo idioma ou língua materna. Pode se encontrar vivendo dentro de um só país ou distribuído por vários.

Mega Povo
Um povo etnolingüístico com população acima de um milhão.

Mini-Povo
Tipo de "povo etnoligüístico" só que menor. Muitas vezes um povo etnolingüístico grande ("mega-povo") contém vários mini-povos. Do ponto de vista evangelístico trata-se do maior grupo dentro do qual o evangelho pode se espalhar através de um movimento de implantação de igrejas sem encontrar barreiras de entendimento ou aceitação. Também conhecido como "povo unimax".

Povo Socio-econômico
Um grupo humano cujos membros se sentem "vinculados" por algum tipo de afinidade ligada à classe econômica profissão bairro hobby orientação política ou religiosa.

ALCANÇANDO UM POVO

Povo não alcançado
Um grupo humano (povo) dentro do qual não existe uma comunidade de crentes que dispõe de pessoas ou recursos suficientes para evangelizar o restante do próprio povo e portanto precisam de um esforço missionário de fora principalmente transcultural.

Povo fronteiriço
Este termo enfatiza a necessidade de que alguém atravesse certas barreiras culturais ou lingüísticas que separam o povo dos demais onde já existe uma igreja que pode alcançá-lo. Sinônimo de "povo não-alcançado".

Povo oculto
Esta denominação salienta que o grupo falando em termos práticos está fora de vista e consideração (atenção) da igreja de Jesus Cristo mesmo que se encontre dentro de seu alcance geográfico. Sinônimo de "povo não-alcançado".

Povo não-penetrado
Esta expressão destaca a idéia da necessidade de um esforço missionário transcultural inicial para depois continuar com o trabalho evangelístico normal do povo. Sinônimo de "povo não-alcançado".

Movimento de Povo
Trata-se de quando um determinado povo responde ao evangelho de forma tão positiva que produz uma conversão maciça.

Movimento missionário
Quando uma igreja implantada num campo missionário se tranforma numa força que envia missionários transculturais para levar o evangelho a outros povos não-alcançados.

TIPOS DE PAÍSES E MISSIONÁRIOS

País de accesso restrito limitado ou criativo
País cujo governo limita por razões políticas ou religiosas a entrada de missionários estrangeiros que desejam se radicar nele. Freqüentemente tal acesso se limita devido a cotas reduzidas para vistos missionários ou prazos de permanência cada vez mais curtos.

País fechado
País cujo governo fechou as portas para a entrada de missionários do estrangeiro negando-lhes vistos de permanência.

Missionário bi-vocacional fazedor de tendas
Missionário com uma profissão dupla servindo como profissional em um país de acesso restrito ou fechado e realizando ao mesmo tempo um ministério evangélistico de tempo parcial.

Missionário não-residente
Missionário que está servindo em algum país de acesso restrito ou fechado e que por isso se vê impossibilitado de residir ali. Desenvolve seu trabalho a partir de um país próximo visitando freqüentemente o país-alvo e realizando seu ministério de forma itinerante.

ETAPAS PARA SE ALCANÇAR UM POVO

Normalmente para levar o evangelho a um povo não alcançado e implantar uma igreja autóctone dentro dele leva um período relativamente longo provavelmente vários anos. Para nossa mentalidade latina acostumada com o improviso e querendo ver resultados quase imediatos convém compreender bem que tratando-se de missões pioneiras e povos não-alcançados não poderemos esperar frutos tão rápidos como os que temos aqui.

Segue-se um esboço das etapas que naturalmente seguem o processo de adotar um povo esclarecendo assim as fases pelas quais teremos que passar para atingir um povo não-alcançado.

Nota: Dentro de cada etapa existem vários passos que precisam ser dados. Compare com o texto "Qual é o Processo Para Se Adotar Um Povo"

Etapa 1: Reportamento
Alguém informa que um determinado povo existe e ainda não foi alcançado.

Etapa 2: Verificação
Comprova-se através de fontes confiáveis que de fato se trata de um povo que precisa ser alcançado.

Etapa 3: Avaliação
Realiza-se uma pesquisa levantando dados precisos que possam ajudar a entender melhor o povo e até mesmo estabelecer uma estratégia para alcançá-lo.

Etapa 4: Seleção
Uma denominação igreja ou agência missionária resolve iniciar um esforço missionário para alcançá-lo com o evangelho.

Etapa 5: Adoção
Uma igreja ou um grupo de igrejas (associação junta) ou agência missionária assume o compromisso de enviar missionários para alcançar com o evangelho o povo selecionado.

Etapa 6: Iniciação
Os missionários chegam ao povo adotado e iniciam seu trabalho missionário transcultural pregando o evangelho e implantando igrejas autóctones.

Etapa 7: Alcançado
O povo já conta com uma igreja autóctone com crentes e recursos suficientes para alcançar o restante do próprio povo sem necessidade (ou com pouca necessidade) de ajuda externa.

VÁRIOS

agência missionária
Qualquer organização pequena ou grande seja uma junta de missões de uma denominação uma agência interdenominacional um conselho (comitê comissão) missionário de várias igrejas de diversas denominações etc. que atua como facilitador ou enviador de missionários.

Movimento AD2000
É um movimento evangélico com uma rede de ligações internacionais que vincula os diversos esforços missionários que têm como meta a implantação de uma igreja autóctone dentro de cada povo não-alcançado até o ano 2000.

Fonte Principal: "Glossário Misionológico" COMIBAM Internacional - Julho de 1992
Visite: COMIBAM (Cooperación Misionera Iberoamericana) – www.comibam.org

SOBRE MISSÕES

Não é engraçado,


• Como uma nota de R$ 10,00 é muito para missões ou para a igreja e tão pouco para o supermercado?

• Como ler o boletim de missões é uma chatice e um jornal ou revista com mais de 30 páginas que fale mal da vida alheia é um hábito agradável?

• Como uma hora de culto missionário parece tão longa e como passa rápido num jogo de futebol?

• Como uma prorrogação de um jogo se torna emocionante e um culto mais demorado uma chatice?

• Como é difícil ler um capítulo da Bíblia e tão fácil ler um livro de ficção de 300 páginas?

• Como se briga para conseguir um lugar bem na frente em um teatro ou estádio e na igreja todos querem sentar nos bancos de trás?

Seria engraçado se não fosse a dura e triste realidade ver nosso tempo gasto com o mundo sem sobrar quase nada para Deus.

Ao invés de perdermos tanto tempo com o mundo, que tal ganhá-lo para Cristo?

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

EVANGELIZAÇÃO MISSIONÁRIA: ESTRATÉGIA HUMANA OU SOBERANIA DIVINA?

Escrevi esta carta em resposta a uma dúvida sobre: "estratégia humana e soberania de Deus em missões" enviada por uma missionária no campo. O nome foi trocado por questões óbvias.




Querida Ana,

Em primeiro lugar, muito obrigado por ter escrito sobre este assunto. Eu me sinto honrado em poder pastorear os missionários que estão no campo, pode usar e abusar.

Quanto ao assunto que você escreveu, vamos lá. Quando eu vejo o processo de evangelização no geral, sempre gosto de analisar em duas dimensões que se complementam. Por um lado vejo a soberania de Deus, fato inequívoco fartamente registrado nas Escrituras. Lá encontramos, por exemplo, que o homem não pode buscar a Deus por si só (Rm 3: 10 – 18); também descobrimos que a própria fé é um dom de Deus (Ef 2: 8, 9), logo, não é o homem com sua estratégia evangelística que converte o pecador, é Deus que vai ao encontro dele e acrescenta-o ao rebanho.

Nesse contexto devemos pensar o seguinte: “então não importa como eu pregue, uma vez que é o Senhor quem converte?” Não, não é bem assim. A evangelização requer estratégia humana sim, eu até diria estratégia cultural. Um exemplo é a língua. Para que o Evangelho seja compreendido eu devo pregar em uma língua que o ouvinte compreenda. Já pensou alguém pregando em sawi em plena Praça da Sé em São Paulo? É neste ponto que ressalto o uso de uma estratégia, por mínima que seja, para que a proclamação faça sentido (At 18: 4; 19: 8; 1 Co 9: 19 – 23). Quando pensamos em evangelização transcultural, o assunto se torna complexo, pois mesmo que utilize uma tática absurda para pregar em uma praça, eu, todavia, estou impregnado da mesma cultura daquele que me houve, pelo menos em aspectos gerais – a representação subjetiva do mundo.

É por isso que "Missões transculturais" é algo que deve ser debatido com seriedade, principalmente no que diz respeito às estratégias que devem ser utilizadas. Pensando em missões indígenas ao longo do tempo podemos avaliar em como houve erros na introdução do Evangelho. No passado, os missionários acreditavam que somente com a língua do outro poderiam eficazmente pregar a Palavra. Engano! Até mesmo hoje, muitos missionários nunca ouviram falar sobre “perspectivismo ameríndio”, ou seja, que a representação do mundo por parte deles é absolutamente dispare da nossa representação.

Vou apenas pincelar esta questão para que você entenda melhor. Nossa visão ocidental é demarcada pela racionalidade. Nós só consideramos humano aquele que partilha de uma razão, ou, num termo mais filosófico, um espírito. Pense você mesma, por que os Yanomami são seres humanos? Sua resposta vai na direção do que estou escrevendo agora: “Eles possuem alma”; ou, “eles possuem razão, são racionais”. Nesta dimensão encontramos uma concepção rígida do “ser”, pois ou é humano ou é animal – isto é o princípio da racionalidade. É neste contexto que pensamos: “ou se é cristão ou não, ou o sujeito é convertido ou ele não é”.

Já a visão indígena foge completamente desta lógica, pois para eles o que torna alguém semelhante é o corpo e não o espírito – é o princípio da animalidade. Lévi-Strauss informa que, enquanto a Universidade de Salamanca discutia se o índio tinha alma ou não (princípio da racionalidade), os Asteca afogavam os europeus aprisionados para verem se tinham corpo ou não (princípio da animalidade). Animalidade porque o corpo é o ponto de vista, logo não há problema, por exemplo, de um xamã se tornar um porco do mato ou um colibri, para ele isso é perfeitamente normal, enquanto para nós se trata de êxtase, blefe ou possessão (representação ligada à alma ou espírito). Há uma citação de Hans Staden no século XVI sobre Cunhambebe que diz o seguinte: “(...) Cunhambebe tinha à sua frente um grande cesto cheio de carne humana. Comia de uma perna, segurou-m’a diante da boca e perguntou-me se também queria comer. Respondi: ‘Um animal irracional não come um outro parceiro, e um homem deve devorar um outro homem? ’ Mordeu-a então, e disse: ‘Jauára ichê’ (Sou um jaguar)”. Percebeu o contraste? Quando temos este tipo de informação passamos a entender a inconstância indígena com relação ao cristianismo e às frases do tipo: “no passado eu era crente, ontem eu era um xamã, hoje sou uma sucuri”.

Com relação aos Yanomami, recomendo que você leia a minha dissertação de mestrado onde trato da atuação dos missionários no passado, a visão cultural que tinham e como isso contribuiu para a evangelização desses índios.

Concluo dizendo que não estou tratando de conflitos de valores aqui. As Escrituras informam claramente sobre este assunto. O que estou discutindo aqui se trata um pouco daquilo que devemos utilizar para a comunicação do Evangelho. Por isso afirmo que as estratégias são importantes na evangelização. Dependendo da atuação inicial você pode abrir como fechar a possibilidade da comunicação do Evangelho numa cultura ágrafa. Não basta apenas aprender a língua e transcodificar o índio pela nossa representação cultural (animismo, racionalidade, “coerência”, pontos excludentes etc.), temos que compreender a forma como eles vêem o mundo e ajustam suas práticas nestas representações. Por outro lado, não nos esqueçamos que somente os eleitos irão se converter, mas isso pertence à vontade soberana e oculta do nosso Deus (só para deixar claro que o mérito não está na estratégia, mas sim em Deus usar ou não da sua misericórdia).

Bem, espero ter ajudado um pouco. Que Deus a abençoe muito no campo missionário e que o Espírito Santo a mantenha animada e firme em fidelidade – isto é o mais importante para uma missionária de Cristo.

Um abraço.
Alfredo De Souza.

sábado, 28 de novembro de 2009

10 MANEIRAS DE FUGIR DO CHAMADO MISSIONÁRIO



1- Ignore o chamado de Jesus feito em João 4:35 para que olhemos os campos com atenção. Reconhecer as necessidades pode ser depressivo e muito desconfortável. E pode levar a uma preocupação missionária genuína. ("Vocês dizem: Mais quatro meses e teremos colheita. Porém, olhem bem para os campos... o que já foi plantado já está bom para ser colhido." - João 4:35)


2- Dirija toda sua energia para um alvo socialmente aceitável. Pode ser um ótimo salário, melhores qualificações, uma promoção no trabalho, um carro do ano, uma casa maior ou sustento para o futuro.

3- Case o mais rápido possível, de preferência com alguém que pense que"A Grande Comissão" é o que um patrão dá a seu empregado depois de uma grande venda. Depois do casamento, não se esqueça de "sossegar" por completo, estabelecer uma carreira e constituir família.

4- Fique longe de missionários. Seus testemunhos podem ser perturbadores. As situações que eles descrevem podem entrar em conflito com o estilo de vida materialmente confortável de sua casa.

5- Se você começar a pensar nos não alcançados, imediatamente pense naqueles países onde a abertura para a pregação do evangelho é inexistente. Pense apenas na Coréia do Norte, Arábia Saudita, China e outros países fechados. Esqueça as vastas áreas do globo, à espera de missionários. Nunca, nunca mesmo queira ouvir sobre 'abordagem criativa’, usadas nesses países.

6- Lembre-se sempre de suas falhas do passado. É irracional esperar que você vá melhorar algum dia. Não estude as vidas de Abraão, Moisés, Davi, Jonas, Pedro ou Marcos (que deram suas bolas-fora em um certo momento de suas vidas, mas não se afastaram).

7- Sempre pense que missionários são pessoas superdotadas e super-espirituais e que devem ser elevadas em pedestais. Mantendo essa imagem, você se sentirá confortável com seu próprio senso de inadequação. Sabendo que Deus não usa nunca pessoas normais como missionários, você não se sentirá culpado ao ter recusado tantas vezes o chamado de Deus.

8- Concorde com as pessoas que dizem que você não é indispensável onde está. Dê ouvido a todos os que dizem que a igreja local não sobreviverá sem você.

9- Preocupe-se incessantemente com dinheiro.

10- Se mesmo seguindo esses conselhos, você ainda sentir vontade de atender ao chamado, vá para o campo sem nenhum treino ou preparo. Em breve você estará de volta e ninguém poderá culpá-lo em não ter tentado.

UMA PEQUENA HISTÓRIA DE IMPACTO



Seria cativante visitar uma igreja do primeiro século e notar o seu programa de evangelismo. Poderiam informar-nos sem perda de tempo sobre a maneira de fazer uma igreja tornar-se conquistadora de almas. Se hoje pudéssemos viajar até essas antigas igrejas, sem duvida ficaríamos maravilhados com nossas descobertas.

Chegando em Éfeso, nossa visita seria mais ou menos assim:
“Boa tarde, Áquila! Sabemos que você é membro desta igreja. Queremos entrar e conversar".
"Sejam bem vindos. Entrem".
"Se não for demais, queremos que nos conte como as igrejas da Ásia Menor efetuam seu programa de evangelização. Lemos que antes você era membro da igreja em Corinto, depois em Roma e, agora, aqui em Éfeso. Portanto, você deve saber informar-nos com exatidão e clareza acerca do evangelismo do Novo Testamento. Também desejamos ver a igreja antes de regressarmos".
"Sentem-se. Já estamos na igreja. Ela se reúne em nossa casa".
"Vocês não têm templo?"
"Que quer dizer templo? Não, acho que não temos”.
"Diga-nos, Áquila, o que a igreja está fazendo para atingir a cidade com o evangelho?"
"Ora, já evangelizamos a cidade de Éfeso. Todos os habitantes desta cidade compreendem bem o evangelho".
"Que?"
"É verdade... acha isso extraordinário?"
"E com é que a igreja conseguiu fazer isso? Por certo vocês não têm rádio nem televisão. Realizaram, então, muitas cruzadas de evangelização?"
"Não. Como vocês provavelmente ouviram dizer, experimentamos evangelismo em massa nesta região, mas quase sempre terminávamos na cadeia!"
"E então, como fizeram tudo?"
"Oh, então não sabem? Somente visitamos todas as casas da cidade. Foi assim que a igreja evangelizou a princípio aquela cidade (At 5.42). Os discípulos evangelizaram a cidade inteira de Jerusalém em muito pouco tempo. Todas as igrejas da Ásia Menor seguiram esse exemplo."
"E esse método tem dado bons resultados em todos os lugares?"
"Sim. Tem havido tantas conversões que os líderes das religiões pagãs temem que suas religiões sejam extintas. Quando o irmão Paulo saiu de Éfeso pela última vez, lembrou-nos que deveríamos continuar evangelizando com o mesmo método" (At 20.20).
"Áquila, isso é maravilhoso! Nesse passo, quantas pessoas ouvirão o evangelho e o aceitarão?"
“Não ouviram ainda dizer? Já levamos o evangelho a todas as pessoas da Ásia Menor — tanto a gregos como a judeus"
"Ora, isso é impossível. Você não está realmente dizendo que cada pessoa já foi evangelizada, não é mesmo?"
"É verdade. Cada pessoa".
"Mas isso incluiria Damasco, Éfeso e dezenas de cidades grandes, aldeias e povoações — e também as tribos nômades do deserto. Quanto tempo foi necessário para as igrejas alcançarem todo esse povo?"
"Não muito tempo — exatamente 24 meses (At 19.10). O mesmo está acontecendo na África do Norte e no sul da Europa. O evangelho também já chegou à Espanha. Ouvimos falar de um país que se chama Inglaterra, e muitos cristãos já chegaram lá. Esperamos completar a Grande Comissão de Jesus antes do fim deste século".
"Áquila, o que você nos está contando é incrível. Vocês têm feito mais, em uma geração, do que nós em mil anos".
"Não compreendo a razão disso. Para nós foi algo simples. Pode ser que vocês tenham usado métodos errados de evangelização".

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Treinamento Evangelização Total Pernambuco




PRÓXIMOS TREINAMENTOS


12/12/2009 das 13:00h as 18:00h

Local: Jardim São Paulo

Igreja Batista Missionária do Jd. São Paulo

R:Jose de Almeida Seixas,145 – Jd.São Paulo – Recife – PE


19/12/2009 das 13:00h as 18:00h

Local: Janga/Paulista -PE

Igreja Episcopal Carismática do Janga

Av. Carlos Gueiros Leite, 1155 – Janga - Paulista – PE

O custo da inscrição para o treinamento é R$ 10,00, faça agora mesmo a inscrição pelo 0800-121911 ou pelo e-mail:


quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Motivações divinas na obra missionária


ESCRITO POR: Hernandes Dias Lopes

O apóstolo Paulo está preso em Jerusalém não por praticar o mal, mas por fazer o bem. Ele chega não com mãos cheias de violência, mas com dádivas generosas para os crentes da Judéia. Ele não é um perturbador da paz, mas um ministro da reconciliação. Ele vem para falar ao seu povo sobre a vida eterna, mas seus confrades decidem matá-lo.
Quando a situação parecia um beco sem saída, Deus lhe abriu novas frentes para a obra missionária. O trabalho de Deus não é feito apenas quando tudo nos vai bem. O semeador rega o solo duro com suas próprias lágrimas. A promessa de vitória, entretanto, é segura, pois quem sai andando e chorando enquanto semeia, voltará com júbilo trazendo os seus feixes. No exato momento em que Paulo estava preso, Deus apareceu para ele e Lucas relata: “Na noite seguinte, o Senhor, pondo-se ao lado dele, disse: Coragem! Pois do modo por que deste testemunho a meu respeito em Jerusalém, assim importa que também o faças em Roma” (At 23.11). Destacamos neste versículo três fatores motivacionais para a obra missionária:
1. A presença de Deus – O Senhor se pôs ao lado de Paulo na hora da sua aflição mais agônica. E o fez não para fechar sua agenda, mas para abrir-lhe novos desafios. Se Deus está conosco triunfamos sobre as dificuldades. Se Deus está conosco, a oposição dos demônios, a perseguição do mundo e a fúria dos homens não podem frustrar essa agenda missionária estabelecida no céu. O que precisamos para fazer a obra de Deus não é tanto de calmaria à nossa volta, mas da sua presença conosco. Antes de Jesus enviar seus discípulos até aos confins da terra, prometeu estar com eles todos os dias (Mt 28.18-20). É a presença de Deus que nos motiva a fazer a sua obra.

2. O encorajamento de Deus – O Senhor disse para Paulo: Coragem! A obra missionária não pode ser feita com timidez. Precisamos entender que essa causa é divina, e, portanto, vitoriosa. Nós não fazemos a obra de Deus estribados em nossa própria força, mas na força do Onipotente. Não vencemos os desafios confiados nas reservas emocionais que possuímos, mas no encorajamento emanado do próprio Deus. Nossa força não vem de dentro, mas do alto. Não se trata de auto-ajuda, mas da ajuda do alto. O mesmo Deus que está conosco é aquele que nos encoraja. Precisamos ter coragem para não olharmos para as dificuldades e sim para as possibilidades. Precisamos ter coragem para não retrocedermos diante das nossas limitações. Precisamos ter coragem para não desanimarmos em face das armadilhas de Satanás, da perseguição do mundo e das agruras do próprio trabalho. Precisamos ter coragem para saber que a obra missionária está no coração de Deus, é feita na força de Deus e com os recursos providos pelo próprio Deus.

3. O comissionamento de Deus – O Senhor disse a Paulo que assim como ele havia dado testemunho em Jerusalém, deveria também dar testemunho em Roma. Paulo não morreria enquanto não cumprisse o projeto de Deus. O destino da nossa vida não está nas mãos dos homens, mas nas mãos do Eterno. É ele quem nos sustenta, protege e abre novas portas para a obra missionária. Paulo tinha o sonho de ir a Roma e de lá ser enviado à Espanha. Agora, Deus o comissiona a ir à capital do Império. É notório o fato de que a ida do apóstolo a Roma não era apenas uma vaga possibilidade, nem mesmo um mero sonho do veterano missionário mas uma determinação divina. Paulo chega à cidade de Roma preso, mas da prisão encoraja as igrejas, evangeliza a guarda pretoriana e escreve cartas que abençoam o mundo.
Hoje, esta igreja se prepara para uma viagem missionária. Temos a confiança que Deus está conosco. Ele mesmo é quem nos encoraja e nos comissiona. Conclamamos aos que ficam na retaguarda a sustentar em oração os que estão indo. Convocamos os que estão indo a dependerem totalmente da graça de Deus, fazendo a obra de Deus, na força de Deus e para a glória de Deus.

domingo, 15 de novembro de 2009

Paul Washer - Chorando pelas almas enganadas


Você vê? Aqui está o que o evangelismo moderno não entende: você só consegue levar uma pessoa até certo ponto. Você não percebe isso? E você não pode substituir o trabalho do Espírito de Deus por algum pequeno método de tirar um versículo fora de contexto, levar a pessoa a orar uma oraçãozinha e a declarar salva, de forma papal.

Você não percebe isso?
E você rouba isso das pessoas com seu pequeno e estúpido evangelismo. Você rouba isso das pessoas.
Você me diz: “Você está tão bravo, suas palavras são tão duras...”
Porque eu não deveria estar ao ver o evangelho ser prostituído desta forma?
E homens correm por um algum processinho.
Você não entende? Pessoas não são números. Elas têm olhos com cores diferentes. E eles têm cabelos com cores diferentes. E eles são diferentes em seus corações, com diferentes com problemas e choram por razões diferentes. E eles são pessoas! Eles não são grupos de pessoas. Eles são pessoas. E eles precisam de Cristo. E você os faz passar por um método patético e assinar um “cartão de decisão” e os declara salvos. E pela graça de Deus alguns realmente são salvos, mas não é por causa de você; é apesar de você.

E quanto a lidar com uma alma? Qual valor você põe em uma alma?
Em um caso um evangelista disse: “ore e convide Jesus para entrar em seu coração”.
A pessoa disse: "Bom, eu não me sinto confortável em orar em voz alta".

“Não tem problema. Simplesmente ore em seu coração”.

“Bem, eu realmente não sei como orar”.
“Está tudo bem. Eu oro por você e você repete as palavras depois de mim”.
Quantos vocês já viram isso acontecer?
“Você repete depois de mim”.
"Como é mesmo?".
“OK, nós faremos assim: eu irar orar e se é o que você quer dizer a Deus aperte a minha mão”.

Eis o poder de Deus...
Eles nem sequer mencionam Jesus. Eles mencionam uma decisão e uma oração e a sinceridade deles, ou suposta sinceridade, no lugar de: “eu sei que estou salvo; eu estou olhando para Jesus. Eu estou confiando nEle. Eu me lancei sobre Ele. Eu fiz meu ‘depósito’ e eu sei que Ele é capaz de guardá-lo até aquele último dia”. Algo contínuo e não uma “vacina”. “Já fiz isso”. Não, a evidência que você já “fez aquilo” é que você continua o fazendo. Você vê?

O primeiro se posiciona e ele está tremendo. O soldado o acerta com a lança e diz: “confesse”. E ele diz: “Iesous estin Kyrios” - Jesus é Senhor. E o soldado corta a cabeça dele e ele cai no chão. E o próximo toma seu lugar. “Jesus é Senhor”. E eles o matam. E o próximo toma seu lugar. “Jesus é Senhor”. E eles o matam. E, então, o evangelismo moderno na América pega essa passagem [Romanos 10.9] e eles dizem: “se você orar agora essa oraçãozinha, você confessou Jesus como Senhor e você está salvo”.

Você vê o que nós fizemos?

Isso não é nem perto o que o texto significa. É lamentável o que nós fazemos. Você é salvo somente através fé, crendo e olhando as Escrituras e o Espírito testemunhando a você que isso é verdade e você confiando em Cristo. A evidência disso, que você realmente creu e que sua vida foi transformada pela obra regeneradora do Santo Espírito, é que você passa a ser uma pessoa confessional. Com sua vida, você produz fruto. Com sua boca, você confessa a Jesus Cristo, mesmo que isso custe sua vida.

Paul Washer - Chorando pelas almas enganadas

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Nordeste pode ter choque missionário

No Brasil, ainda há lugares, especialmente na área rural, onde o conhecimento de Jesus é deficiente, ou ainda nem chegou. Pensando exatamente numa estratégia para mudar essa realidade, pastores do Nordeste do país organizaram uma Conferência Missionária regional que pode multiplicar as possibilidades de evangelização daquela região do Brasil. O evento, cujo tema é: "Onde Cristo ainda não foi anunciado", ocorrerá entre os dias 25 e 28 de novembro de 2009, na Igreja Batista do Calhau, em São Luís, no estado do Maranhão, e contará com preletores com grande experiência e prática nas mais diversas modalidades evangelísticas. O missionário Ronaldo Lidório e o pastor luterano Valdir Steurnagel, vice presidente da Visão Mundial Internacional desde o ano de 2006, estão entre os preletores.

De acordo com um dos organizadores da Conferência, o pastor Batista Ezequias Silva, a Igreja brasileira só justificará o seu verdadeiro crescimento e a sua razão de existir, quando todos os povos, raças, tribos e nações dentro do seu próprio território nacional forem alcançados pelo evangelho: "Entendemos que a glória do conhecimento de Deus inundará toda Terra (Hb. 2.14), quando a Palavra de Deus for pregada em todos os lugares e houver uma igreja ao alcance de cada povo. O Brasil, principalmente o Nordeste, ainda não conseguiu terminar o dever de casa!", argumenta Ezequias.

O pastor apresenta números que consolidam sua tese.

Realidade atual:
- Há 1.132 cidades com menos de 5% de evangélicos, a maioria no Nordeste.
- Mais de 35 mil vilas do interior da floresta amazônica ainda carentes do evangelho.
- Há dezenas de tribos indígenas sem nenhuma presença cristã.
- Existem aproximadamente 2.200 comunidades quilombolas no Brasil, sendo 642 no Maranhão, e quase todas sem igrejas e sem nenhum crente evangélico.
- Há ainda 6 milhões de sertanejos no Nordeste e muitos ainda não ouviram falar de Jesus.
- Várias comunidades ribeirinhas e dezenas de ilhas no Norte/Nordeste nunca receberam a Palavra de Deus.

É de olho neste panorama, nada animador, que a Igreja Nordestina se reunirá em novembro. Os pastores convidados como palestrantes são conhecidos por colocarem a "mão na massa" quando o assunto é evangelismo. Ao contrário de alguns "teóricos do Evangelho", Ronaldo Lidório, por exemplo, tinha 26 anos quando se mudou com a esposa para uma aldeia africana no interior de Gana, na África Ocidental. Lá, Lidório prestou assessoria à igreja Konkomba e consultoria antropológica e missiológica, não só entre os ganeses mas também entre outros nativos africanos. Após sete anos de trabalho, o missionário entregou o Novo Testamento traduzido inteiramente para uma das línguas dos Konkomba. Desde 2001, Lidório e sua esposa Rossana, tem se dedicado ao plantio de igrejas, à análise lingüística e tradução da Bíblia e ao desenvolvimento humano e social na Amazônia indígena.

Outro dos preletores no evento é o missionário da Sepal Oswaldo Prado, que atualmente coordena a área de expansão missionária no Brasil e no exterior. É o líder do Projeto Brasil 21, que mobiliza e treina pastores para plantação de novas igrejas em cidades não alcançadas pelo Evangelho. É ainda membro do Comitê de Missões da Aliança Evangélica Mundial.

Também estão entre os preletores os pastores, Raul Cavalcante, presidente das Assembléias de Deus de Imperatriz, no Maranhão, e Waldemaar Carvalho, presidente da Missão Kairós.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Igreja 100% fora do banco!!

Agradecemos a Deus por mais uma Conferência Missionária, cremos no poder de Deus que fez e fará grandes coisas em nossas vidas!
"Despertem ó tu que dormes levanta-te dentre os mortos e Cristo te iluminará" Ef.5.14

Agradecemos, ao Ministério Muller Oliveira benção para nós! Ao Ministério Santidade vocês são escolhidas por Deus! Ao Missionário Cassiano e a Missionária Jozineide, amamos vocês! E ao Ministério Compaixão - todos os pacificadores - Deus tem muito mais a fazer em nossas vidas! Esperem!!!

domingo, 25 de outubro de 2009

Não basta AMAR temos que Evangelizar!


Neste último mês formou-se a primeira turma de Líderes de Evangelização da EAE – Unidade Boa viagem em Recife-PE, um turma abençoada que mudará a evangelização do Estado, já com projetos em andamentos aprenderam de uma forma conceitual e prática a quebra de paradigmas, trazendo o avivamentos ao primeiro amor nos seus corações.
Muito Obrigada Pr. Edvaldo pela sua vida e testemunho que serve de exemplo para todos nós!
Já com muitas saudades...

domingo, 18 de outubro de 2009

Para que vocês lembrem do Pr. Alan

Pr. Alan, sua esposa Agnes e eu (minha despedida à um mês e meio atrás).

Queridos Parceiros, graça e paz! Gostaria de mais uma vez contar com suas fiéis orações, hoje mais precisamente pela família do Pastor Alan do Chade; acabei de receber a noticia pela missionária Ladjane que ontem a tarde na estrada entre Massaguet e N'djamena ele sofreu um acidente de moto e faleceu...
A dor que estou sentindo aqui não posso comparar com a dor dos que estao lá especialmente sua família irmã Agnes e seus 7 filhos.

Para que vocês lembrem-se Pr. Alan foi o fundador e diretor da escola que foi queimada a mais ou menos 3 anos atrás pela qual pedimos orações e vocês também contribuiram para a recuperação da mesma e hoje esta escola está com mais de 300 alunos sendo educados e instruído nos caminhos de nosso Pai.

Pastor Alan e família vieram do sul do Chade como missionários na regiao de Massaguet a 14 anos atrás, sofreram toda sorte de perseguição na regiao 100% islâmica, já tive sua casa, igreja e escolas queimada e já sofreu ameaças inúmeras vezes, mas o Senhor o abençoou e com a escola na comunidade recebeu todo o apoio e respeito da comunidade. Hoje a escola e o centro de formação em informática tem ajudado em muito o desenvolvimento da comunidade.

Durante estes mais de 7 anos que vivi no Chade foi uma das pessoas com quem eu mais trabalhei, com ele, família e na regiao.

Amados, estamos todos muito, muito abalados, por favor orem por nós.

Obrigada mais uma vez. Não temos dúvidas de que o Pai da vida continua no controle de todas as coisas e Ele mesmo no fortificará, nos abençoará e mostrará a equipe do Chade como prosseguir nesta nova jornada.

Abraços

Neidinha

Miss. Jozineide Leônidas

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Projeto Pequeno Missionário

Estamos convocando sua igreja para essa grande colheita no dia 12 de outubro 2009, no estado do Pernambuco; verifique aqui como você pode fazer parte desta convocação:
No dia 12 de outubro, dezenas de igrejas do estado do Pernambuco estarão envolvidas no PROJETO PEQUENO MISSIONÁRIO. O projeto nasceu no coração de 3 alunos da Escola Avançada de Evangelização. Eles começaram a sentir a necessidade de evangelizar as crianças e adolescente da Região Metropolitana do Recife, vendo o descaso da sociedade com os mesmos, o alto índice de violência e prostituição e elaboraram um projeto ousado. A AMME fez parte do planejamento e do apoio, e com a Graça de Deus o projeto começou a nascer. Hoje o Projeto Pequeno Missionário já está em fase de divulgação e recrutamento das igrejas e voluntários para participarem desta colheita. Veja aqui como o projeto será realizado.

No dia 12 de outubro, às 16:30h, na rede estação de televisão canal 14 ,com sinal aberto para toda a região metropolitana do Recife-PE, e a cabo via satélite para todo estado do Pernambuco C1(antiga B2), na internet para o mundo (www.redeestacao.com.br/vivo), será exibido o filme Socorro Amigo onde você está - o filme foi criado em animação digital e conta a história de três adolescentes que caem num poço em uma casa velha e abandonada, sem saída eles recebem a visita de uma pessoa que os tenta acalmar enquanto o socorro não chega, neste tempo esse amigo conta toda a história de Jesus Cristo, começando com a criação no Genesis , o filme tem 60 minutos no total, após exibição do filme um pastor fará o apelo a todos que assistiram o filme, e um palhaço divulgará um site e uma caixa postal onde cada pessoa que assistiu o filme poderá se cadastrar para receber um livro gratuitamente, esse palhaço é o palhaço Sorriso, que graciosamente nos ajudou no projeto e o apelo ficou por conta do Pastor Miqueas, homem de Deus que há mais de 40 anos faz apelos nos canais de TV, através de suas mensagens.
Veja agora como é fácil participar desta colheita:

Divulguem neste fim de semana, na sua igreja, que na segunda feira dia 12 de outubro as 16:30hs o filme será exibido através do canal de televisão, que cada convidado que ele levar para assistir o filme em sua casa, poderá fazer o cadastro na internet e ganhar um livro.
Lembre-se Não Basta Amar, tem que evangelizar!

Você pode ajudar a Jesus, neste fim de semana, contamos com você,

Qualquer dúvida envie um e-mail para:
Ev. Gilson Oliveira – e-mail nejurol.olivera@oi.com.br
Ev. Elias Batista – e-mail elbanas@ig.com.br
Pb.Guilherme e- mail presbitero_guilherme@ig.com.br

Contamos com você…
Pr. Edvaldo
Dir. Atendimento Nordeste II
Amme

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

III Conferência Missionária Compaixão


SOCORRO! AMIGO ONDE VOCÊ ESTA?

Evangelize sem sair de casa! Convide um amigo não crente e faça toda a diferença no dia das crianças! Esse é um desafio para a Igreja do Pernambuco e de todo o Brasil. Poderemos atingir cerca de 250 mil crianças no estado e 20 milhões no país. Coopere com essa missão de evangelizar, ore por este trabalho desafiador e faça a sua divulgação na sua Igreja!
Maiores informações entre em contato com Morgana Mendonça - 96291307.