domingo, 22 de dezembro de 2013

Confrontar é falta de amor?

Tornou-se comum evangélicos acusarem de falta de amor outros evangélicos que tomam posicionamentos firmes em questões éticas, doutrinárias e práticas. A discussão, o confronto e a exposição das posições de outros são consideradas como falta de amor.


É possível que no calor de uma argumentação, durante um debate, saiam palavras ou frases que poderiam ter sido ditas ou escritas de uma outra forma. A sabedoria reside em conhecer “o tempo e o modo” de dizer as coisas (Eclesiastes 8.5). Todos nós já experimentamos a frustração de descobrir que nem sempre conseguimos dizer as coisas da melhor maneira.

Todavia, não posso aceitar que seja falta de amor confrontar irmãos que entendemos não estarem andando na verdade, assim como Paulo confrontou Pedro, quando este deixou de andar de acordo com a verdade do Evangelho (Gálatas 2:11). Muitos vão dizer que essa atitude é arrogante e que ninguém é dono da verdade. Outros, contudo, entenderão que faz parte do chamamento bíblico examinar todas as coisas, reter o que é bom e rejeitar o que for falso, errado e injusto.

Considerar como falta de amor o discordar dos erros de alguém é desconhecer a natureza do amor bíblico. Amor e verdade andam juntos. Oséias reclamou que não havia nem amor nem verdade nos habitantes da terra em sua época (Oséias 4.1). Paulo pediu que os efésios seguissem a verdade em amor (Efésios 4.15) e aos tessalonicenses denunciou os que não recebiam o amor da verdade para serem salvos (2Tessalonicenses 2.10). Pedro afirma que a obediência à verdade purifica a alma e leva ao amor não fingido (1Pedro 1.22). João deseja que a verdade e o amor do Pai estejam com seus leitores (2João 3). Querer que a verdade predomine e lutar por isso não pode ser confundido com falta de amor para com os que ensinam o erro.

Apelar para o amor sempre encontra eco no coração dos evangélicos, mas falar de amor não é garantia de espiritualidade e de verdade. Tem quem se gabe de amar e que não leva uma vida reta diante de Deus. O profeta Ezequiel enfrentou um grupo desses. “... com a boca, professam muito amor, mas o coração só ambiciona lucro” (Ezequiel 33.31). O que ocorre é que às vezes a ênfase ao amor é simplesmente uma capa para acobertar uma conduta imoral ou irregular diante de Deus. Paulo criticou isso nos crentes de Corinto, que se gabavam de ser uma igreja espiritual, amorosa, ao mesmo tempo em que toleravam imoralidades em seu meio:

- “andais vós ensoberbecidos e não chegastes a lamentar, para que fosse tirado do vosso meio quem tamanho ultraje praticou? Não é boa a vossa jactância...” (1Co 5.2,6).

Tratava-se de um jovem “incluído” que dormia com sua madrasta. O discurso das igrejas que hoje toleram todo tipo de conduta irregular em seus membros é exatamente esse, de que são igrejas amorosas, que não condenam nem excluem ninguém.

Ninguém na Bíblia falou mais de amor do que o apóstolo João, conhecido por esse motivo como o “apóstolo do amor”. Ele disse que amava os crentes “na verdade” (2João 1; 3João 1), isto é, porque eles andavam na verdade. "Verdade" nas cartas de João tem um componente teológico e doutrinário. É o Evangelho em sua plenitude. João ama seus leitores porque eles, junto com o apóstolo, conhecem a verdade e andam nela. A verdade é a base do verdadeiro amor cristão. Nós amamos os irmãos porque professamos a mesma verdade sobre Deus e Cristo. Todavia, eis o que o apóstolo do amor proferiu contra mestres e líderes evangélicos que haviam se desviado do caminho da verdade:

- “Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos” (1Jo 2.19).

- “Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho” (1Jo 2.22).

- “Aquele que pratica o pecado procede do diabo” (1Jo 3)
- “Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo” (1Jo 3.10).

- “todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo” (1Jo 4.3).

- “... muitos enganadores têm saído pelo mundo fora, os quais não confessam Jesus Cristo vindo em carne; assim é o enganador e o anticristo... Todo aquele que ultrapassa a doutrina de Cristo e nela não permanece não tem Deus... Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem lhe deis as boas-vindas. Porquanto aquele que lhe dá boas-vindas faz-se cúmplice das suas obras más” (2Jo 7-1).

Poderíamos acusar João de falta de amor pela firmeza com que ele resiste ao erro teológico?

O amor que é cobrado pelos evangélicos sentimentalistas acaba se tornando a postura de quem não tem convicções. O amor bíblico disciplina, corrige, repreende, diz a verdade. E quando se vê diante do erro seguido de arrependimento e da contrição, perdoa, esquece, tolera, suporta. O Senhor Jesus, ao perdoar a mulher adúltera, acrescentou “vai e não peques mais”. O amor perdoa, mas cobra retidão. O Senhor pediu ao Pai que perdoasse seus algozes, que não sabiam o que faziam; todavia, durante a semana que antecedeu seu martírio não deixou de censurá-los, chamando-os de hipócritas, raça de víboras e filhos do inferno. Essa separação entre amor e verdade feita por alguns evangélicos torna o amor num mero sentimentalismo vazio.

Portanto, o amor cobrado pelos que se ofendem com a defesa da fé, a exposição do erro e o confronto da inverdade não é o amor bíblico. Falta de amor para com as pessoas seria deixar que elas continuassem a ser enganadas sem ao menos tentar mostrar o outro lado da questão.



Fonte: Augustus Nicodemus Lopes

[Carta de Fim de Ano - 2013] Miss. Morgana Mendonça.

Paz! Irmãos, familiares e amigos.
Chegamos no fim de mais um ano, há dez anos respondendo esse chamado missionário e nesse ano de 2013 pude viver um ano incrível! Não foi por ausência de lutas, dificuldades, lágrimas, perdas, porém contudo, foi pelo fato de que Deus mais uma vez me fez viver "os seus pensamentos mais altos e caminhos mais altos" (Is 55.9) Nos dois primeiros meses do ano, contemplei até hoje a maior experiência missionária da minha vida, minha ida a Angola foi algo indescritível (como diz o dicionário: impossível de descrever), extraordinário e concluo como o auge de toda experiência que pude viver em missões. Tive oportunidades de pregar, discipular, preparar lideres de igrejas no ensino teológico, contemplar vidas se rendendo a Cristo, sentir na pele a cultura africana e provar dos seus costumes.
Na minha volta ao Brasil, me dediquei na continuação do curso bacharel em teologia com concentração em missiologia, agora faltando apenas mais um semestre que me garante pela graça de Deus a conclusão do mesmo. Estudos e mais estudos, minha concentração esse ano foi no aprofundamento das línguas grego e hebraico, na qual vejo um árduo caminho pela frente para a compreensão total delas.
Na igreja tive a oportunidade de continuar discipulando jovens e na liderança do ministério de missões, durante o ano tive várias oportunidades de pregar em diversas igrejas, posso afirmar que nunca preguei em tantas igrejas na minha vida como esse ano, conheci e pude me relacionar com outras denominações, foi bastante especial e marcante para mim. Como é de conhecimento de todos, há nove anos atrás tive a direção de Deus de fundar um projeto missionário, e esse ano tivemos um "tempo" bastante atípico. Trabalhamos juntos, com treinamentos em igrejas e com um sério estudo sobre o livro de Neemias, juntos estamos aprendendo sobre liderança como a de Neemias, enviamos no meio do ano a curto prazo duas missionárias para o México, trabalhos duro para isso. Recebemos dois terrenos para construir nossa base, chegamos até a dar entrada na documentação, ata e estatutos do projeto, isso foi um grande presente. Nosso trabalho esse ano dentro do PMC (Projeto Missionário Compaixão) foi comparado a um grande treinamento e tratamento, glórias seja dada a Deus por isso!
Como no inicio escrevi, um ano incrível! A minha denominação junto com a agência missionária começaram todo o processo de parceria sobre meu chamado transcultural, e de fato, agora em 2014 estarei em processo de formação e preparo para um campo, que já vem em seguida, meu envio ao extremo sul da Asia. Com uma pequena probabilidade de visitar às Filipinas antes do envio a longo prazo.
Meu coração está decididamente grato a Deus por toda a Sua Graça e Misericórdia sobre a minha vida, eu sei que não sou digna de nada disso, sei também que é algo irresistível, essa vocação e chamado, que não me faz pensar em olhar para traz. O que darei ao Senhor? O que doaremos ao Senhor? (Salmo 116.12)
No entanto, a grande questão é, poderia eu ter vivido tudo isso sozinha, mas Deus achou melhor que eu vivesse ao lado de cada um de vocês! Não tenho palavras para agradecer a cada um, meus familiares, amigos, irmãos na fé, professores do STPN, PMC. A cada Igreja que me convidou, a cada jovens do "Nossa Luta", o apoio do meu Pr. Adonias Ramos, a minha igreja. Grandes coisas fez o Senhor por nós! (Salmo 126.3) Agradeço também aqueles que com fé e alegria puderam me sustentar financeiramente e em orações cobrir a minha vida, fiel é Deus que dará muito mais a cada um, assim eu oro!
Concluo, com as palavras do rei Davi, que antes de enfrentar Golias pode fazer umas das mais belas declarações bíblicas: "A batalha pertence ao Senhor" (1Sm 17.47), que venha 2014 com tudo aquilo que o Senhor já determinou, Ele é soberano! Faltando poucos dias para findar o ano, meu coração confesso e lágrimas nos olhos, diante de toda a peleja e luta, juntos possamos declarar, "Do Senhor é a guerra".
Obrigada, mais uma vez, [tornando Deus conhecido para que os homens possam Adorá-Lo], com amor... Morgana Mendonça Santos.

Feliz Natal e ano novo!

Miss. Morgana Mendonça Santos
morganamissao@hotmail.com
55 81 96291307 - 55 81 86758078
www.ministeriocompaixao.blogspot.com
"Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus." Atos 20:24 — com Morgana Mendonça Santos.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Classificação de países por perseguição. Fonte: Portas Abertas.


wwl2013ok_

Com base em experiências de campo, anualmente, a Portas Abertas publica uma lista com os 50 países mais opressores ao cristianismo. Há três principais objetivos para esse levantamento: fazer dessa classificação um instrumento mais preciso de medição da extensão da perseguição aos cristãos hoje; determinar onde a necessidade é mais urgente e; assim, planejar melhor projetos e ações.

Perseguição é "toda e qualquer hostilidade vivenciada em qualquer lugar do mundo, como resultado da identificação de uma pessoa com Cristo. Isso inclui atitudes, palavras ou ações hostis contra os cristãos, partindo de fora do cristianismo ou em meio a ele". Ron Boyd-MacMillan

  • Países novos entraram na lista: Mali (7ª), Tanzânia (25ª), Quênia (40ª), Uganda(47ª) e o Níger (50ª).  
  • Como já citado, o Mali, na África, que não apareceu em classificações anteriores, já chega ocupando a 7ª colocação. Isso se deu porque, após um golpe militar de Estado em março de 2012, o país vive hoje um momento de tensões e mudanças políticas, o que reflete diretamente na perseguição à Igreja. O norte foi dominado por milícias islâmicas e, portanto, todas as igrejas dessa região foram destruídas e milhares de cristãos tiveram que fugir para o sul ou para países vizinhos. 

  • Há onze anos consecutivos, a Coreia do Norte figura em primeiro lugar noranking.
  • Iraque está agora no TOP 5 da lista. Pulou da 9ª para a 4ª posição no quadro geral. Desde 2003, quando a invasão liderada pelos EUA derrubou o regime de Saddam Hussein, os cristãos tem sido alvo constante de grupos radicais islâmicos que atuam no país. 
  • Síria subiu 25 posições, a Etiópia 23 e a Líbia 9, o que significa que a perseguição nesses países se intensificou.  
  • Nigéria se manteve no 13º lugar, mas a perseguição que antes era considerada somente no norte do país, agora se expandiu para todo o território. 
  • China desceu do 21º lugar para o 37º e o Egito do 15º para o 25º. Entenda, porém, que essas alterações nas posições não significam, necessariamente, uma melhora na perseguição religiosa na China e no Egito, especificamente. O que acontece é que, devido à mudança na forma de classificação dos países, em alguns lugares a perseguição religiosa é maior do que nessas nações, o que fez com que muitos países descessem no ranking sem que a hostilidade aos cristãos tenha diminuído de fato. 

Pequeno Manual de oração MISSIONÁRIA.

- Devemos orar para que Deus envie missionários. “Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara” (Mt 9:38). É missão da igreja orar para que muitos crentes possam cumprir o Ide em outras nações ou em sua própria comunidade. Poucos são os que se interessam em levar a Palavra aos perdidos, e precisamos orar para que a Igreja seja despertada para esta ordem e chamado.

- Devemos orar para que os missionários preguem com confiança. “Orando em todo o tempo [...] para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho, [...] para que possa falar dele livremente, como me convém falar” (Ef 6:18-20). Muitas vezes, aqueles que pregam o Evangelho possuem motivos humanos para temer, quer seja pela própria vida, quer seja por qualquer outra coisa. Precisamos orar para que suas vozes não saiam trêmulas. Precisamos clamar ao Senhor para que quem prega o faça com força e vigor, confiantemente.

- Devemos orar para que os missionários encontrem boas oportunidades de pregação. “Perseverai em oração [...] para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo” (Cl 4:2-4). Que nossa oração seja para que os missionários encontrem meios, formas e oportunidades de proclamar a Palavra de Deus, em todo tempo.

- Devemos orar para que os missionários possuam liberdade de pregação. “No demais, irmãos, rogai por nós, para que a palavra do Senhor tenha livre curso e seja glorificada, como também o é entre vós; e para que sejamos livres de homens dissolutos e maus; porque a fé não é de todos” (2 Ts 3:1-2). Muitos dizem que oram para que venham provação e perseguição contra a Igreja, para que Deus nos “purifique”, mas a Bíblia nunca nos ensinou a orar assim. A nossa oração deve ser para que o Evangelho seja propagado com liberdade por todos os povos.

- Devemos orar para que os missionários possuam ousadia na pregação em meio a perseguições e ameaças. “Agora, pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra” (At 4:29). Quando Deus não responde positivamente nossas orações para que as perseguições cessem, devemos orar para que, em meio à dor, os cristãos consigam força para continuar propagando a mensagem da Cruz, mesmo que tendo que pagar com o próprio sangue.

- Devemos orar para que os missionários consigam conversões. “Irmãos, o bom desejo do meu coração e a oração a Deus por Israel é para sua salvação” (Rm 10:1). Se Deus é quem converte os corações dos homens, e se Ele é o Senhor da seara, e se dEle é a obra de evangelismo, devemos clamar a Ele que converta os corações dos homens a Si.

- Devemos orar para que os missionários sejam instrumentos para salvação de todos os homens, sem distinção, quer sejam reis ou plebeus, ricos ou pobres, pretos ou brancos. “Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade; Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade (1 Tm 2:1-4). Se o evangelho é tão universal assim, devemos clamar pela salvação em todas as esferas de nossa sociedade.

- Devemos orar para que os missionários possam voltar para seus países quando necessário. “Orai por nós, porque confiamos que temos boa consciência, como aqueles que em tudo querem portar-se honestamente. E rogo-vos com instância que assim o façais, para que eu mais depressa vos seja restituído” (Hb 13:17-19). Muitos missionários precisam de tempos de férias ou de descanso, até mesmo para poder cuidar da saúde e rever família e amigos. Precisamos orar para que eles possam encontrar novamente suas comunidades e países de origem quando necessário.

- Devemos orar para que as igrejas plantadas cresçam em maturidade. “E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento, para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo; cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus” (Fp 1:9-11). Que os trabalhos cresçam e sejam igrejas que refletem a glória do seu Salvador.

"Supliquemos-te diariamente (e nunca duvidemos), em nossas orações, que, no governo de teu Cristo, tu ajuntes novamente todo o mundo [...] quando Cristo exercer o poder que lhe foi dado para a nossa salvação e salvação de todo o mundo." - João Calvino

Autor desconhecido.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

3° vigília do PMC, acontecendo na última sexta feira de cada mês.


Ontem, por meio da nossa intercessora Midian Rebeca pudemos conhecer mais dos atributos de Deus, através da Sua própria Palavra, as Escrituras. Não fizemos dessa vigília um momento de pedidos, mas um momento de adoração e louvor a Deus, não pelo que Ele faz por nós, mas pelo o que Ele É. Se Deus não fizesse mais nada por você, até o dia da sua morte, ainda assim você o adoraria? Se ele parasse de agir na sua vida, parasse de derramar as Suas bençãos sobre você, ainda assim você o glorificaria? Pois saibam, que foi para isso que fomos criados: para adora-Lo, servi-Lo e glorifica-Lo. Se podemos Te pedir algo Senhor, pedimos que nos leve cada dia a Te adorar mais e mais, pois sabemos que és Tu que opera, tanto o querer, quanto o realizar!

sábado, 20 de julho de 2013

PMC no México!

Mais uma das nossas meninas, Monica Dias e Midian Rebeca que estão no México, levando as boas novas do Senhor.  
Obrigada Senhor pela oportunidade, obrigada Senhor por escolher Monica e Midian, obrigada por nós como Projeto Missionário Compaixão, pudermos estar fazendo parte dessa caminhada, pudermos estar vivendo esses momentos, só Tu sabes Deus que o nosso maior prazer é te adorar e ser boca Pai, para Tua palavra!

Nessas fotos elas estão com as crianças que estão ouvindo o evangelho e sendo acompanhadas, juntamente com outras missionárias que estão participando e realizando o mesmo trabalho! Força meninas, estamos com vocês, cobrindo em orações!

Missionárias Monica e Midian no México.

Miss. Monica Dias.

Crianças lindas e abençoadas.

PMC no México. 

domingo, 7 de julho de 2013

Missionárias do PMC no México!


Em pensar que o Projeto Missionário Compaixão estava aos 45 minutos do 2° tempo na feira de Maranguape, vendendo sapatinhos para reunir o restante do sustento da viagem de Monica Dias e Midian Rebeca ao México. Hoje as duas missionárias estão lá, em um pedacinho da América do Norte, pregando o evangelho de Cristo, graças ao nosso Deus! 

Nessa foto as missionárias estão realizando um trabalho de evangelização com crianças, em um país que sofre com a falta da palavra de Deus, em um país onde os cristãos são também perseguidos!
Que Deus esteja com vocês meninas, que vocês sejam um instrumento verdadeiro nas mãos do nosso Pai!
E obrigada a todos que oraram, a todos que ajudaram, a todos que enviaram! 


Família PMC comemorando aniversários.

Esse mês de junho fizemos nossa primeira confraternização dos aniversariantes do ano, que foi realizada nesse primeiro semestre! Foi uma benção! Equipe, Familia PMC! 



PMC no México!


O Projeto Missionário Compaixão envia duas Missionarias para o México, estaremos em oração para que o Reino de Deus seja manifesto naquele lugar! "Cristo em vós a esperança da Glória..." Deus é com vocês!


segunda-feira, 10 de junho de 2013


Salvação para todo aquele que crê:

Tanto o Antigo como o Novo Testamento dão um testemunho completo de que os homens só podem receber os benefícios do evangelho através da fé. O credo de Habacuque é a fundação de toda religião verdadeira: “o justo viverá pela sua fé.”[6] Essas palavras são a chave para a salvação e a centelha de qualquer verdadeiro avivamento da religião. Sem essas palavras, a porta da salvação está fechada hermeticamente. A única senha para a glória é “eu creio”. Paulo evidencia isso em uma passagem que é notória por sua redundância: “sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Cristo Jesus, também temos crido em Cristo Jesus, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois, por obras da lei, ninguém será justificado.”[7]

A salvação não é pelas obras por duas razões fundamentais. Primeiro, o homem não tem nenhuma obra para mostrar. Não há nada em sua vida que mereça salvação, mas tudo que invoque a condenação de um santo Deus. É o testemunho da Escritura que não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que faça o bem.[8] Na verdade, o melhor do labor humano e suas maiores obras de altruísmo não são nada mais que trapo da imundícia diante de Deus.[9] Essas verdades devastam o orgulho do homem, mas devem ser pressionadas contra sua consciência a fim de extinguir qualquer esperança em autopromoção diante de Deus e esmagar qualquer pensamento de conquistas o favor da Deidade através da força de seu próprio braço. Um homem vem a Deus pela fé somente após ter percebido sua desamparada condição e clamado com o antigo compositor de hinos: “Nada em minhas mãos eu trago, somente a tua cruz me agarro”.[10]

Segundo, a salvação não é pelas obras, pois isso não glorificaria a Deus; isso lhe faria um devedor obrigado a recompensar a suposta virtude da criatura. Salvação pelas obras não é nada além de humanismo vestido de religião. É o homem mitológico erguendo-se do pó pela própria força de sua vontade de superar todas as adversidades e adquirir o prêmio. Por outro lado, a fé é a verdadeira religião. É o homem como ele é, “perdido e arruinado pela queda”, esvaziado de qualquer confiança própria e confiando na fiel promessa de um Deus salvador.[11] No épico drama da salvação pela fé, Deus é o herói, e só a ele louvamos grandemente. Assim como está escrito, “não a nós, SENHOR, não a nós, mas ao teu nome dá glória” e “aquele que se gloria, glorie-se no Senhor”.[12]

[1] Atos 26.26
[2] Colossense 1.5-6
[3] Apocalipse 5.9
[4] Salmo 2.8
[5] Marcos 16.15; Mateus 28.18-20
[6] Habacuque 2.4; Romanos 1.17
[7] Gálatas 2.16
[8] Romanos 3.10-12
[9] Isaías 64.6
[10] Augustus M. Toplady, “Rock of Ages” [Rocha Eterna, tradução livre], 1775.
[11] Joseph Hart, “I Will Arise and Go to Jesus” [Levantar-me-ei e irei a Jesus, tradução livre], 1759.
[12] Salmo 115.1; 1 Coríntios 1.31; Romanos 3.27

Extraído do livro 9º capítulo do livro “O Poder e a Mensagem do Evangelho” de Paul Washer, a ser lançado pela Editora Fiel. Tivemos a oportunidade de traduzi-lo e o privilégio de poder compartilhar pequenos trechos de cada capítulo com vocês.
Tradução: Vinícius Musselman Pimentel. Versão não revisada ou editada. Postado com permissão.
© Editora Fiel. Todos os direitos reservados. Original: Um evangelho para todo aquele que crê (Paul Washer) [9/26]

terça-feira, 4 de junho de 2013

Vigília - Projeto Missionário Compaixão

Algumas fotos da nossa 1º vigília após o recesso. Vigília esta que foi realizada a partir de uma direção de Deus na vida do PMC - Projeto Missionário Compaixão, que nos fez entender que fará A diferença na vida do projeto como um todo e na vida de cada membro, como índividuo, como pessoa! A vigília foi uma benção, louvor, adoração e ORAÇÃO, exaltando o nome daquEle que é digno de toda honra e glória para sempre!
Santo, Justo, Digno, BENDITO seja aquele que era e que há de vir. (Ministério Hebrom - Santo de Israel).

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Porque é o poder de Deus para a salvação (Romanos 1.16)
Um evangelho salvador

Nas Escrituras, lemos que a salvação é o fim, ou alvo, da fé.[1] O mesmo é verdade com respeito ao evangelho. Na avaliação de Paulo, o maior dom que o evangelho proporciona a um homem é a salvação de sua alma. Deus enviou seu Filho ao mundo para que o mundo fosse salvo através dele.[2] Através das eras, a salvação foi o glorioso tema da igreja e o assunto de seus maiores hinos. Santos do passado viam a salvação não como um dos inúmeros benefícios do evangelho a serem considerados, mas como o grande benefício, que quando recebido, tomava a vida de um crente de tal forma que ele não queria nada além disso. Salvação de si mesmo e do pecado, libertação da condenação e da ira, reconciliação com Deus e o conhecimento de Cristo são o suficiente!

Lamentavelmente, em décadas recentes, parece que a salvação perdeu algo de seu valor. Na opinião de muitos, a promessa da salvação não é uma motivação forte o suficiente para levar o pecador ao arrependimento ou o santo à verdadeira devoção, então precisamos adicionar muitas outras promessas para tornar o chamado do evangelho atrativo. Saúde e prosperidade, propósito e poder e conseguir o máximo dessa presente vida são as verdadeiras cartas do jogo do cristianismo contemporâneo. Na verdade, as próprias coisas que o púlpito promete e as pessoas nos bancos buscam são normalmente as próprias coisas que Jesus alertou que poderiam ser perdidas no decurso do verdadeiro discipulado.[3] De acordo com ele, um homem poderia ter que perder o mundo inteiro para ser salvo, e, ainda assim, ele considerava uma barganha conseguir a salvação a um custo tão pequeno.[4]

À luz do alto valor que a Escritura dá a salvação, por que esta promessa de salvação não mais impressiona por si só a alma moderna? Por que outras promessas mais terrenas precisam ser adicionadas para tornar o evangelho mais atraente para o homem contemporâneo? Primeiro, é porque os homens não compreendem sua condição deplorável. Assim como um homem rico não vê razão para se regozijar ao lhe ser dado um mero pedaço de pão até que uma reviravolta na vida lhe deixe pobre, assim o pecador não acha alegria na salvação até que seja revelada a horrível natureza de seu pecado e ele se veja como um desgraçado, miserável, pobre, cego e nu.[5] Segundo, é porque os homens não entendem a perigosa situação em que se encontram. Um homem estimará a salvação somente ao passo que ele entende algo dos terrores dos quais ele está sendo salvo. Uma clara visão do inferno e da ira de Deus dará ao homem uma apreciação mais apropriada da salvação oferecida através do evangelho. Terceiro, é porque os homens não entendem o custo infinito que foi pago para lhes assegurar a salvação. A redenção de uma alma é caríssima e além do que um homem possa pagar.[6] Somente Deus possui o valor a ser pago, e ele o pagou por completo através do precioso sangue do seu próprio Filho.[7] Pecadores que permanecem sem serem informados sobre a dignidade de Cristo tem pouca esperança de apreciar o que ele fez por eles no evangelho. Quarto, é porque os homens não regenerados são sempre assim. Cegos não encontram nenhuma beleza em um pôr do sol, surdos não são tocados nem pela mais bela sonata, e bestas selvagens não apreciam a arte. De forma similar, homens carnais, não regenerados e não convertidos são espiritualmente cegos e surdos à Palavra de Deus e servos de um coração bestial que prefere se alimentar de seu desejo animal do que provar e ver que o Senhor é bom.[8] Por essa razão, Jesus exclamou que a menos que um homem nasça de novo ele não pode “ver” o reino dos céus, quanto mais estimar seu valor.[9] Por essa razão, pessoas carnais enchem a lista de nossas igrejas – pessoas que frequentam por toda sorte de motivos, menos Cristo e uma fome por justiça.[10] As promessas mais práticas e momentâneas que foram adicionadas ao evangelho tornam-no mais atraente para eles, e eles continuam na igreja enquanto recebem o que querem. Isso alimenta suas carnes de uma forma religiosa, mas suas almas continuam mortas para Deus e para a esperança de verdadeira salvação.

[1] 1 Pedro 1.9
[2] João 3.17
[3] Mateus 16.24-26
[4] Marcos 8.36-37
[5] Apocalipse 3.17
[6] Salmos 49.8
[7] 1 Pedro 1.18-19
[8] Salmo 34.8
[9] João 3.3
[10] Mateus 5.6

Extraído do livro 8º capítulo do livro “O Poder e a Mensagem do Evangelho” de Paul Washer, a ser lançado pela Editora Fiel. Tivemos a oportunidade de traduzi-lo e o privilégio de poder compartilhar pequenos trechos de cada capítulo com vocês.
Tradução: Vinícius Musselman Pimentel. Versão não revisada ou editada. Postado com permissão.
© Editora Fiel. Todos os direitos reservados. Original: Um Evangelho Escandaloso (Paul Washer) [7/26]

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Um evangelho para ser recebido.



Uma vez que o evangelho é a mensagem de Deus ao homem, nós poderíamos supor que ele deve evocar algum tipo de reação ou demandar algum tipo de resposta. Do nosso texto, aprendemos que, ao ouvirem o evangelho, a igreja em Corinto tanto o recebeu de forma apropriada ao seu grande valor, quanto fez dele o fundamentos sobre o qual estavam firmes diante de Deus. Para estarmos corretos diante de Deus, devemos fazer o mesmo.

Recebendo o evangelho

Para que homens sejam salvos, eles devem, pela graça de Deus, receber o evangelho. Mas o que isso significa? Não há nada extraordinário na palavra receber em português ou no grego bíblico, mas, no contexto do evangelho, ela se torna extraordinária – umas das palavras mais radicais na Escritura.
Primeiro, quando duas coisas são contrárias ou diametralmente opostas uma as outras, receber um deles é rejeitar o outro. Já que não há afinidade ou amizade entre o evangelho e o mundo, receber o evangelho é rejeitar o mundo. Isso demonstra como quão radical o ato de receber o evangelho pode ser. Receber e seguir o chamado do evangelho é rejeitar tudo o que pode ser visto com os olhos e, em troca, segurar em suas mãos tudo o que não pode ser visto[1]. É rejeitar a autonomia pessoal e o direito de se autogovernar para se escravizar a um Messias que morreu dois mil anos atrás como um inimigo do Estado e um blasfemador. É rejeitar a maioria e seus pontos de vista a fim de juntar-se a uma minoria censurada e aparentemente insignificante conhecida como a igreja. É arriscar tudo nesta singular e única vida na crença que esse profeta crucificado é o Filho de Deus e o Salvador do mundo. Receber o evangelho não é meramente orar convidando Jesus para entrar em seu coração, mas é deixar o mundo de lado e abraçar plenamente as reivindicações de Cristo.
Segundo, o indivíduo que recebe o evangelho confia exclusivamente na pessoa e obra de Jesus Cristo como a única forma de estar correto diante de Deus. É uma máxima comum que confiar em qualquer coisa de forma exclusiva é perigoso, ou, na melhor das condições, algo muito imprudente de ser feito. Nossa sociedade considera como descuidada uma pessoa se ela não tiver um plano reserva ou uma rota de fuga, se ela não diversificou seus investimentos, se ela colocou todos os seus ovos em uma mesma cesta ou se ela fecha portas atrás de si e joga a chave fora. Contudo, essa é exatamente a atitude que a pessoa que recebe Jesus Cristo deve ter. A fé cristã é exclusiva. Receber verdadeiramente a Cristo é jogar fora toda e qualquer esperança que não seja em Cristo somente. É por essa razão que o apóstolo Paulo declara que o cristão é de todos os homens o mais digno de pena se Cristo for uma farsa.[2] Se ele não é o Salvador, então o cristão está perdido, pois não tem nenhum outro plano ou confiança. Pela fé, ele declarou: “Meu Senhor, em Ti confio. Se Tu és incapaz ou não desejas salvar-me, então encontrarei meu lugar no inferno. Não farei para mim nenhum outro recurso!”
Um receber genuíno do evangelho não só envolve um desdém e abandono do pecado, mas também um desdém e abandono de qualquer confiança que não seja Cristo, especialmente a confiança em si próprio. É por essa razão que uma pessoa realmente convertida ficará praticamente nauseado com a menor sugestão de que seu correto posicionamento diante de Deus possa ser um produto de seu próprio mérito e virtude. Embora sua nova vida em Cristo produza boas obras, ela se desvencilhou de qualquer esperança em achar nas boas obras um meio de salvação e, portanto, confia exclusivamente na pessoa e perfeita obra de Cristo.

[1] Hebreus 11.1, 7, 27; 1 Pedro 1.8
[2] 1 Coríntios 15.19


De voltemos ao evangelho.




Extraído do livro 2º capítulo do livro “O Poder e a Mensagem do Evangelho” de Paul Washer, a ser lançado pela Editora Fiel. Tivemos a oportunidade de traduzi-lo e o privilégio de poder compartilhar pequenos trechos de cada capítulo com vocês.
Tradução: Vinícius Musselman Pimentel. Versão não revisada ou editada. Postado com permissão.
© Editora Fiel. Todos os direitos reservados. Original: Um Evangelho para Ser Recebido (Paul Washer) [2/26]

domingo, 14 de abril de 2013

Treinamentos | Missões e Evangelismo.

Para honra e glória de Deus conseguimos terminar mais um treinamento com o Projeto Missionário Compaixão, treinando varias igrejas na região de Olinda, convidada pela Igreja Presbiteriana Renovada em Jardim Brasil V! 

Realizamos treinamentos de evangelização na área de esportes, casais, centros urbanos, casa em casa e crianças! Foram dadas mais de 7 estratégias de evangelização! Houve também pregação e ensino bíblico sobre Evangelismo e Missões! Louvor, vídeos e sorteios!


Queremos agradecer primeiramente a Deus por nos dar a oportunidade e o privilégio de trabalhar em Sua obra, para o Seu reino, sabemos que se não fosse Ele, nada disso seria possível. Em seguida, a Igreja Presbiteriana Renovada por também ter nos dado a oportunidade de treiná-los a partir do que aprendemos em quase 10 anos de estrada! Queremos agradecer a equipe do Projeto compaixão que esteve dando os treinamentos e orando! E a todas as outras pessoas que têm carinho pelo Projeto COMPAIXÃO e ajudaram de alguma forma, orando, jejuando e mais! Muito OBRIGADA!

Que saibam que tudo o que fazemos, é por Ele, para Ele e COM ele! Porque em nada temos a nossa vida por preciosa, contanto que cumpramos com alegria a nossa carreira, e o ministério que recebemos do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus. Amém, Glória a Deus, Glória a Deus!
Atos 20:24.

Treinamentos | missões e evangelismo.


Treinamento realizado pelo Projeto Missionário Compaixão na Igreja Presbiteriana renovada de Jardim Brasil V, que aconteceu para mais de 4 igrejas que estavam presentes. 

12/ 04 (Dia 1 - Noite)
• Apresentação do Projeto Missionário Compaixão em slides.
• Evangelização, porque evangelizar e como?
(Ministrada pela Miss. Morgana Mendonça) 

- Evangelização: É tornar conforme o Evangelho.
Porque: Mandamento do Senhor. Romanos 1.16
Como? Relacionamento que gera Discipulado.
IDE- Intercedendo, doando, evangelizando.

- Grande comissão: As 5 palavras.
Marcos 16.14-18.
Mateus 28.16-20.
João 20.19-23.
Lucas 24.45-53.
Atos 1.6-9. - Que tipo de evangelização o nosso mundo precisa receber? 1 Pedro 1.10-12
Virtudes de um profeta: 
1) Examina atentamente o seu tempo | 2) Compreende | 3) Comunica;

- Evangelização total: 4 todos. 
"Tudo que todo crente precisa para pregar todo Evangelho a todo mundo"
Todo crente | Todo mundo | Todo Evangelho |Toda Criatura

Video: Paul Washer - Missões

13/04 (Dia 2 - Manhã)
• A necessidade de produzir resultados no ministério - João 4 
( Ministrada pela Miss. Morgana Mendonça)

- "A minha comida consiste em fazer a vontade de meu Pai e realizar a sua obra" João 4.34
- A diferença entre a mulher samaritana e os discípulos:
- Discípulos que agem como semeadores e mulher que age como ceifeira:

- Vida de ceifeiro: Objetivo definido | Mensagem Impactante | Sentido de urgência 

• Semeadores e ceifeiros se diferenciam pelas suas atitudes e as atitudes influenciam a mensagem. Objetivo definido, mensagem Impactante e sentido de urgência produzem uma mensagem afiada e produtiva. A mensagem de um ceifeiro proporciona uma boa colheita de "sim", como foi o caso daquela samaritana que pregou: "Venham ver um homem que me disse tudo o que tenho feito. Será que ele não é o Cristo?" João 4.29. 
Uma mensagem que foi simples, interessante e motivadora. Tudo o que uma mensagem deve ser para produzir resultados.

• SIM:
- Mensagem Simples - "Um homem que me disse tudo o que tenho feito" Grandeza de Deus em sua própria vida. Objetivo definido leva a uma mensagem simples onde pessoas chegam a Cristo.
- Mensagem Interessante - "Será que ele não é o Cristo?" 
Um ceifeiro com uma comunicação Impactante, deve ser capaz de apresentar sua mensagem de modo interessante.
- Mensagem Motivadora - "Venham ver um homem"
Na mensagem de um verdadeiro ceifeiro levar as pessoas a ação é algo essencial. Um ceifeiro deve agir com tal sentindo de urgência que nada seja suficiente senão colocar as pessoas em imediata ação, motivando-os.

Resumo: A mensagem deve ser simples, interessante e motivadora. Levada por um objetivo definido, uma mensagem Impactante com sentido de urgência. É como aconteceu como aqueles cidadãos: "E disseram à mulher: 'Agora cremos não somente por causa do que você disse, pois nos mesmos o ouvimos e sabemos que este é realmente o Salvador do mundo'." João 4.42

• Dividir em grupos: criar nas congregações uma evangelização de ceifeiro, relacionamento e Discipulado.

13/ 04 (Dia 2 - Tarde)
(Ministrados pela equipe do Projeto Compaixão)
• Workshop de treinamentos evangelísticos: 
- Evangelização através de Esportes - Priscilla Cavalcanti [Kids Games, Teologia do Esporte]
- Evangelização para Crianças - Mônica Dias [Projeto Aquila e Livro sem palavras]
- Evangelização para Casais - Hélio Paiva e Aline Remígio [banquete e demais estratégias]
- Evangelização em centros urbanos e casa em casa - Drielle Ribeiro e Fernanda Ribeiro [Como se faz PAZ e Melhor Amigo]

13/04 (Dia 2 - Noite)
• Resultado da Evangelização.
- Qual é a vontade do Pai? Que produzamos frutos! 
(Ministrada pela Miss. Morgana Mendonça) 

- Vídeo: A igreja como salva vidas.
- Evangelismo e Missões: John Piper - livro. Salmos 117
- Palavra: Mateus 7.21-23/Lc. 13.25-27



quinta-feira, 21 de março de 2013

Carta Angola


Brasil, 25 de fevereiro de 2013.
Ene vakuetu kalungui, Amém?
Paz do Senhor irmãos, amém? Em Umbundo falado em um dialeto africano, "Ene vakuetu kalungui". 
Hoje faz exatamente 15 dias que cheguei do continente africano, me recuperando de todo o fuso horário, limitações físicas e sono em dia. Com muita dedicação, entrego esse DVD e essa carta em mãos, como forma de agradecimento e honra a sua vida. Agradeço a Deus por todo esse 6 meses de preparo, 30 dias de execução do trabalho missionário e chegada ao Brasil, que não está sendo fácil, ainda estou em quarentena com risco de malária, essa semana fiz o primeiro teste e deu negativo para honra e gloria de Deus, mas ainda tenho que terminar o tempo de risco, tentando aumentar as defesas do organismo, repondo vitaminas, sendo medicada por remédios de verme, enfim... Estou na recuperação física e emocional da viagem! Em tudo isso, nada se compara com o gozo, alegria e realização do "tudo" que vivi naquele pais, naquela província. Angola, província Kuanza do Sul, Sumbe... Recebeu uma porcentagem do amor de Deus! Trabalhamos com jovens, mulheres, liderança, Igrejas, casais, realizamos congresso de jovens, congresso de mulheres, conferência missionária, capacitação teológica, aconselhamento cristão para jovens, mulheres e casais, discipulado com jovens e casais, visitas de casa em casa, trabalhando com quatro igrejas diferentes. No DVD tem um vídeo com fotos e testemunhos de todo o nosso trabalho naquele país. 
Mas a intenção dessa pequena carta é gratidão a Deus pela sua vida, que orou, apoiou e enviou financeiramente. Chegamos juntos na África querido irmão(a), eu agradeço de todo o coração por tudo que fez em minha vida para o Reino de Deus, a sua ajuda fez com que o Reino De Cristo aumentasse um pouco mais naquele país de tanta miséria, doenças, orfandade, heresias, impérios de demônios... Um país que esta vivendo o pós-guerra, em construção, lugares completamente assolados com terrenos ainda minados... Pessoas amputadas, crianças órfãs pelos óbitos de guerra... Irmãos, só Deus! Não é a doação, a generosidade humanitária global, desenvolvimento do governo... Não, não é nada disso que a África precisa! É da pregação do Evangelho que vai mudar a situação, é Cristo na vida dos angolanos que vai fazer eles viverem uma vida diferente!
De uma forma tão linda, vivemos a manifestação do poder de Deus naquele lugar, contemplamos salvação, libertação, confissão... Vidas de jovens e casamentos sendo restaurados, buscando a santificação pelo renovo da sua aliança com Deus! A obra é de Deus, então eu quero declarar que foi Deus quem fez tudo, glorias a Deus por isso! E você, sua família, contribuiu muito para isso, quando orou e de alguma forma me enviou... Que a sua vida seja cada dia mais recompensada pela sua oferta de amor, que os seus olhos possam contemplar todos os dias as bênçãos do Senhor pelo seu "dar"... A palavra de Deus diz que "melhor é dar", e quando isso acontece, grande é a medida abundante sobre você! Eu oro para que o Senhor te dê sempre um coração disposto para contribuir para obra missionária. 
Enfim, estou agora em preparação para Ásia, passarei os próximos dois anos em treinamento e preparação para gastar os anos da minha vida na pregação do Evangelho naquele lugar, mas você pode perguntar: “Pretendes voltar a África?” Minha resposta: “Pretendo sim, muito! Quem sabe em janeiro de 2014, conto mais uma vez com a sua ajuda!” Que Deus nos conceda graça a cada dia, até que o Evangelho seja pregado e os homens vivam para adorar ao Senhor! Estarei a sua disposição, para testemunhar de uma forma melhor tudo o que Deus fez!
Pedidos de oração: 
Orem pelos jovens que se libertaram de uma vida de pecado mesmo vivendo dentro da Igreja.
Orem pela Missionária Vera Lucia Rissato, que implantou a Igreja em Angola.
Orem pela nossa equipe, que chegou no Brasil e começou a enfrentar tantas dificuldades.
Forte abraço, meditem em Atos 20:24!
Miss. Morgana Mendonça Santos
Assista nosso video do Projeto Missionario Angola 2013.